Secretário do Tesouro defende que China adote taxa de câmbio mais orientada pelo mercado

Os Estados Unidos anunciaram que atrasarão a publicação de seu relatório sobre a política monetária da China o qual deve determinar se Pequim manipula o iuane e que ia a ficar ser divulgado dias depois da visita do presidente da China, Hu Jintao, a Washington.

Em comunicado, o secretário do Tesouro de EUA, Timothy Geithner, disse, no entanto, que o gigante asiático se apoia nas intervenções no mercado de divisas e deve aplicar uma taxa de câmbio mais orientada ao mercado.

Em sua declaração, Geithner cita uma série de reuniões de alto nível entre a China e os EUA durante os próximos três meses como razão para atrasar a entrega ao Congresso do relatório. No dia 15 de abril o Tesouro deveria apresentar perante os legisladores o relatório semestral sobre divisas dos grandes parceiros comerciais de EUA, uma rotina exigida pelo Capitólio.

O presidente da China deve participar da cúpula nuclear que será realizada nos dias 12 e 13 de abril em Washington e nos últimos dias houve rumores de que sua visita aos Estados Unidos poderia atrasar a apresentação do relatório.

Um documento duro sobre a China poderia aumentar de novo as tensões entre os países, a conta de assuntos tão díspares como Google, a apreciação do iuane, a venda de armas dos EUA a Taiwan e a reunião do presidente americano, Barack Obama, com Dalai Lama.

No dia 15 de março, 130 membros do Congresso, tanto republicanos como democratas, enviaram uma carta ao Governo na qual pedem que ele tome medidas para responder à suposta manipulação da divisa da China. O país é acusado de impedir a valorização de sua moeda para baratear suas exportações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.