SÃO PAULO - A queda nos preços do álcool na usina começa a se refletir mais fortemente no valor cobrado nos postos de combustíveis e, por consequência, a elevar a atratividade do produto ao consumidor final. Nas últimas quatro semanas, o preço médio do litro do etanol em São Paulo recuou 8,5% para R$ 1,687, o equivalente a 68,4% do preço da gasolina.

Para ser considerado mais competitivo, o litro do álcool ao consumidor final tem que equivaler a até 70% do valor do combustível fóssil.

Na última semana, a vantagem do álcool em relação à gasolina foi registrada em mais três estados, além de São Paulo. Goiás com 65,64%, percentual que há quatro semanas era de 71,8%, Tocantins com 68,41%, ante os 71% registrados há um mês, e Mato Grosso, onde o etanol se manteve competitivo durante toda a entressafra.

Na semana de 22 de janeiro, os preços do álcool hidratado (que abastece diretamente o veículo) atingiram o pico de R$ 1,20. Após esse período, o produto iniciou uma curva descendente encerrado a última semana cotado a R$ 0,8271, retração de 31%.

Nas últimas semanas, a União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica) vem se manifestando contra a demora no repasse dessa queda do preço ao consumidor final. Em janeiro, a venda de etanol hidratado retraiu-se 24% e, em fevereiro, 28%, segundo Unica.

(Fabiana Batista | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.