Um novo estudo da Universidade Harvard alerta que, nos últimos anos, a indústria do tabaco vem manipulando o teor de mentol dos cigarros para atrair consumidores jovens e manter a fidelidade dos fumantes adultos. O relatório poderá contribuir para pôr mais lenha na fogueira da controvérsia nos Estados Unidos a respeito dessa substância na legislação pendente sobre o fumo.

O estudo, apresentado por pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, conclui que os fabricantes vêm comercializando certas marcas para uma "população vulnerável" de adolescentes e de jovens adultos, "manipulando elementos sensoriais dos cigarros a fim de promover a iniciação ao fumo e sua dependência".

Os jovens, afirmam, toleram melhor os cigarros mentolados do que os sem o ingrediente, mais fortes. Nos cigarros de baixo teor de mentol, ele contribui inicialmente para mascarar a aspereza do fumo, fazendo com que seja mais fácil começar a fumar. Mas à medida que os fumantes vão ficando mais acostumados, preferem as sensações mais fortes proporcionadas por um teor mais elevado, afirma o estudo. "As fabricantes de cigarros pesquisaram de que modo, controlando os níveis desse ingrediente, poderiam aumentar as vendas de suas marcas entre grupos específicos", prossegue o relatório.

O estudo conclui que 44% dos fumantes com idade entre 12 e 17 anos preferem cigarros mentolados. Os pesquisadores pedem uma regulamentação urgente sobre isso.

Hoje, esses cigarros representam 28% da indústria de cigarros, que movimenta US$ 70 bilhões nos EUA. Um porta-voz da controladora da Philip Morris, cujas marcas mentoladas Marlboro são algumas das citadas no estudo, desmentiu que a companhia tenha corrigido o teor da substância para atrair fumantes mais jovens.

Mas o estudo afirma que a Philip Morris utilizou uma dupla estratégia para competir com vantagens no mercado do cigarro mentolado, segmento de seu negócio que estava perdendo força antes de 2000.

A companhia lançou uma nova marca mais fraca desses cigarros, a Marlboro Milds, para competir com cigarros como a marca Newport, que contém um baixo teor de mentol. Ao mesmo tempo, concluiu o estudo, a Philip Morris elevou em 25% o teor de mentol nos seus Marlboro Menthol, para atrair fumantes adultos. "A Marlboro precisava de um produto com baixo nível de mentol para atender às necessidades sensoriais dos jovens fumantes, e um cigarro com um teor mais elevado para os mais velhos", diz o texto. Desde então, a parcela de mercado dos cigarros mentolados da Philip Morris vem crescendo, e atualmente a companhia está em segundo lugar em vendas do produto nos EUA. As informações são do O Estado de S. Paulo
U

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.