A oferta pública inicial de ações da OSX Brasil, empresa de serviços para a indústria de petróleo, movimentou R$ 2,4 bilhões

A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações da OSX Brasil, empresa de serviços para a indústria de petróleo controlada pelo empresário Eike Batista, teve adesão majoritária de estrangeiros. A oferta movimentou R$ 2.450.400.000,00 de acordo com o anúncio de encerramento, ao preço de R$ 800 por ação. O lote suplementar, de 459.450 ações, não foi exercido, tampouco o lote adicional. Da oferta, 84 investidores estrangeiros ficaram com 79,75% de participação, ou 2.442.710 de um total de 3,063 milhões ações. <p><p>A fatia inclui hedge (proteção) para operações com derivativos no exterior realizadas por ordem de clientes pelos bancos Credit Suisse (coordenador líder), Itaú USA Securities e Morgan Stanley. Também fez parte da coordenação o BTG Pactual. O Itaú BBA atuou como agente estabilizador do preço das ações para atender um eventual excesso de demanda, que não ocorreu.<p><p>Após os estrangeiros, em segundo lugar na quantidade de ações ficou um sócio ligado à oferta, com 700 mil papéis, ou 22,85%. Em seguida, vieram cinco instituições intermediárias participantes do consórcio de distribuição, com 7,16% da oferta, ou seja, 219.250 ações, incluindo as subscritas em razão de garantia firme prestada pelos coordenadores. Por sua vez, 59 fundos de investimento compraram 63.890 papéis da oferta (2,09%); seguidos por duas instituições financeiras participantes, com 52,8 mil ações (1,72%); 30 pessoas físicas, com 40,2 mil papéis (1,31%); além de duas pessoas jurídicas, com 2,4 mil ações; e um clube de investimento, 1,2 mil ações. A partir de hoje e por 18 meses, as ações só poderão ser negociadas em lotes de 100 pelo valor mínimo de R$ 80 mil, conforme a OSX.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.