Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Estoques recuam e preço do petróleo sobe US$ 6 em Nova York

SÃO PAULO - Depois de dois dias consecutivos de forte baixa, os preços futuros de petróleo encerraram o pregão com alta significativa. A correção das cotações foi justificada pela diminuição combinada dos estoques de óleo cru e de gasolina nos Estados Unidos.

Valor Online |

O aperto da oferta, causado principalmente pela passagem do furacão Ike na última semana na região do Golfo do México, levou o mercado a um ajuste de preço, mas não o suficiente para devolver o barril para o nível de US$ 100.

Em meio ao agravamento da crise financeira, os agentes mencionam ainda um efeito de realocação de recursos, com os investidores retirando dinheiro do mercado acionário e privilegiando as commodities, entre elas petróleo e ouro.

O contrato de WTI negociado para o mês de outubro em Nova York fechou com alta de US$ 6,01, para 97,16. O vencimento para o mês seguinte fechou a US$ 96,96, com aumento de US$ 5,94. Em Londres, o barril de Brent para novembro subiu US$ 5,62, para US$ 94,84. O contrato para dezembro encerrou valendo US$ 96,03, com valorização de US$ 5,46.

Os investidores também levaram em conta o socorro da seguradora AIG dado pelo Federal Reserve, de US$ 85 bilhões. A decisão alivia a tensão imediata de crise sistêmica e consequente reflexo para a economia americana, já bastante combalida, que resultaria em menor demanda por óleo.

Conforme o relatório de estoques divulgado hoje pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos, as reservas de gasolina encolheram em 3,3 milhões de barris e as de óleo cru diminuíram em 6,3 milhões de barris na semana encerrada em 12 de setembro, levando o estoque total de cru para um patamar 8% menor do que o verificado um ano antes.

O relatório mostrou ainda que a atividade das refinarias caiu de 78,3% para 77,4% na semana, devido às intempéries no Golfo do México.

"(Bianca Ribeiro, do Valor Online, com agências internacionais)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG