BERLIM - Maiores estoques ajudaram o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha a crescer 0,7% no terceiro trimestre de 2009 sobre o segundo, contrabalançando a fraqueza do consumo privado e do comércio exterior. Os estoques contribuíram com 1,5 ponto percentual para o PIB e o investimento em capital foi responsável por 0,2 ponto. O consumo privado e o comércio líquido tiraram 0,5 ponto cada, informou o governo nesta terça-feira.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237574024806&_c_=MiGComponente_C

A maior economia da Europa saiu de sua pior recessão desde a Segunda Guerra no segundo trimestre, crescendo 0,4% . Antes disso, o PIB havia registrado retração por quatro trimestres consecutivos.

Em relação ao terceiro trimestre de 2008, a economia caiu 4,7%, após um recuo de 7% no segundo trimestre na comparação anual.

Confiança

A confiança do empresário da Alemanha aumentou mais que o esperado em novembro, atingindo o maior patamar desde agosto de 2008. O instituto econômico Ifo informou nesta terça-feira que seu indicador feito com cerca de 7 mil empresas subiu para 93,9 neste mês, ante 92,0 em outubro. Foi o oitavo mês seguido de melhora. Economistas consultados pela "Reuters" previam para novembro uma leitura de 92,5.

Leia também:

Leia mais sobre: Alemanha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.