Paris, 15 set (EFE).- As autoridades bancárias e das bolsas de valores européias fizeram acordos e iniciaram mecanismos contra a desestabilização dos mercados perante a declaração de quebra do banco americano de investimento Lehman Brothers, disse hoje a ministra francesa de Economia, Christine Lagarde.

Lagarde presidiu durante o fim de semana uma reunião dos titulares de Economia e Finanças da União Européia (UE) em Nice (sudeste da França), que estava prevista há muito tempo.

Perguntada na emissora "Europe 1" sobre os riscos que a declaração de quebra do Lehman Brothers representa para a Europa, a ministra disse que os governadores de bancos centrais, o presidente do Banco Central Europeu, as autoridades dos mercados financeiros e os responsáveis dos departamentos do Tesouro dos países da UE se acertaram durante o fim de semana.

"Foram iniciados mecanismos que permitem aos mercados não se desestabilizar nem ficar gravemente desordenado", afirmou Lagarde, para quem não deve haver "pânico a bordo".

Lagarde reconheceu que "a crise financeira e suas manifestações não terminaram".

Aproveitou para destacar a necessidade "imperativa" de iniciar mecanismos de supervisão, à luz da crise financeira suscitada ano passado pelas hipotecas de risco nos EUA.

Sobre a declaração de quebra do Lehman Brothers, Lagarde disse que "caiu um ícone da indústria bancária".

"É um choque mas ao mesmo tempo é o testemunho de um certo equilíbrio: o Tesouro americano não pode constantemente ir salvar os (bancos) que estão em uma má posição", disse.

Lagarde, por outra lado, destacou como "fundamental" a decisão de 10 bancos internacionais de criar um fundo de US$ 70 bilhões que servirá de garantia para o sistema financeiro. EFE ao/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.