Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Esquema da priâmide: uma bola de neve surgida nos anos 20

O esquema da pirâmide que inspirou o administrador de fundos Bernard Madoff também é conhecido como esquema Ponzi, em referência ao fraudador Carlo Ponzi e se caracteriza por um efeito de bola de neve.

AFP |

Em Boston, no início dos anos 20, Carlo Ponzi, um imigrante italiano, se tornou um milionário com menos de 40 anos em apenas seis meses.

Ele elaborou uma estratégia apoiada na mentira e na confiança dos clientes de sua empresa, a Securities Exhange Company. Ele prometia às pessoas rendimentos de até 40% em 90 dias, quando as contas de poupança ordinárias da época não ofereciam mais de 5%.

Estes lucros seriam obtidos, em teoria, com a compra e a revenda de selos postais internacionais.

O negócio oferecido aos clientes por Ponzi era sumamente simples: uma pessoa no exterior enviava uma carta para os Estados Unidos, incluindo um selo postal comprado segundo as tarifas do país de origem.

A promessa gloriosa era baseada no fato de que a diferença entre as cotações do dólar americano e as divisas estrangeiras daria lucros enormes automáticos.

Entusiasmados com esta perspectiva, os pequenos poupadores entregaram seu dinheiro a Ponzi, que, "em três horas, recebeu um milhão de dólares", segundo o site da SEC, autoridade reguladora do mercado americano.

A fraude funcionou enquanto os investidores não decidiram retirar em massa suas economias, posto que a mentira se manteve pagando alguns clientes com o dinheiro que outros haviam injetado, seguindo o popular princípio de "despir um santo para vestir outro".

"Apesar de alguns investidores terem obtido lucros com o esquema de Ponzi, o que legitimou assim sua montagem, uma investigação mostrou que o fraudador só havia investido 30 dólares para comprar selos postais internacionais", explicou a SEC, que 90 anos mais tarde foi acusada de não ter detectado o "esquema Ponzi" a grande escala de Bernard Madoff.

Ponzi foi desmascarado pela revista Barrons, que revelou que o fraudador não investia em sua própria empresa e que precisaria de seis meses mais de selos postais em circulação para cobrir o conjunto de suas operações.

Os poupadores se precipitavam em vão para recuperar suas economias e Ponzi foi condenado a muitos anos de prisão.

maj/po/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG