Tamanho do texto

O mercado de artigos esportivos apresenta oportunidades não só para as grandes marcas conhecidas em todo o mundo. Mas também para os pequenos empreendedores que, se conseguirem focar num determinado nicho, terão boas chances de sucesso.

Foi o que fez, por exemplo,Frederico Aniya, proprietário da Mr. Tuff , empresa de suplementos alimentares e acessórios esportivos, com linhas para corredores e ciclistas.

Aniya, que sempre trabalhou na área de esportes, há quatro anos está à frente da empresa. Ele afirma que o crescimento do esporte amador e a consciência de uma alimentação mais correta abriram novas oportunidades neste mercado.

Ele acredita que direcionar o empreendimento para a parte de acessórios favoreceu o sucesso: "Temos menos concorrência. Se fosse uma marca de tênis, por exemplo, teríamos vários concorrentes e nenhuma garantia de sucesso."

Desde o primeiro ano, a empresa tem apresentado um crescimento que varia entre 30% e 40% por ano.

E a tendência é que esses números só aumentem, uma vez que Aniya aproveita as oportunidades que tem para fazer propaganda do negócio, com participação em eventos esportivos e divulgação em veículos especializados.

Carlos Calligari , proprietário da Dhoxa Tanita, especializada em distribuição de balanças e equipamentos de monitoramento corporal, também está há quatro anos no comando da empresa. Constantemente ele faz pesquisas com os clientes por meio de questionários para analisar a procura pelos produtos. Todo esforço é válido para manter ou tentar superar a média de crescimento na casa dos 30% ao ano.

Calligari diz que trabalhar com produtos diferentes é o melhor caminho para a pequena empresa. "O setor é bastante promissor e não é necessário entrar na briga dos grandes."

Boa fase

De acordo com o consultor de marketing do Sebrae-SP, Gustavo Carrer, o mercado de artigos esportivos encontra-se numa fase madura e não deve apresentar nenhuma surpresa desagradável para os empresários.

Pelo contrário, recentemente houve até uma expansão do consumo. "Fatores como maior divulgação sobre os esportes em geral, pessoas mais preocupadas com a saúde e o bem-estar ajudam na propagação do setor. E por ser ano de Olimpíadas, os esportes estão ainda mais no foco."

Para aproveitar melhor as oportunidades, a localização do empreendimento é fundamental. Segundo Carrer, estar próximo a outras lojas/empresas do mesmo ramo ou ainda perto de parques, clubes, academias, lugares onde se pratica esporte pode elevar as vendas.

Quanto à atividade em si, Carrer diz que a melhor opção para os micros e pequenos empresários é a especialização num determinado negócio.

Ele afirma que focar em materiais para uma única atividade esportiva como tênis, por exemplo, ou esportes radicais é uma boa saída para se diferenciar.

O foco num nicho pode dar-se por meio de uma modalidade ou pela faixa de preços , que podem ser tanto mais populares quanto mais sofisticados. "Há espaço para ambos os públicos; só não vale cometer o erro de tentar agradar a todos", alerta o consultor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.