Esperanças em alta para o Natal Por Juliana Rocha São Paulo, 14 (AE) - Varejistas podem continuar a acalentar suas esperanças para o Natal. Segundo o analista de mercado Luciano Crippa, caso seja preciso ajustar as estimativas sobre as vendas de computadores até o fim do ano em conseqüência da crise financeira, a redução não ultrapassará as 200 mil máquinas.

O número é pouco relevante diante de uma perspectiva de venda de 13 milhões de unidades em 2008. Os fabricantes também reiteram sua confiança no mercado nacional ao não alterarem os planos de médio e longo prazo para o País. É o caso da Lenovo, que mantém a sua data de estréia no varejo nacional para o início de 2009. "As nossas expectativas de vendas estão até melhores. Esse Natal com certeza superará o anterior. A minha aposta é que até o Natal a cotação do dólar terá estabilizado", diz Jaison Patrocínio, diretor de operações e produtos da empresa. A Positivo também aposta em um Natal gordo. "Ao que parece venderemos nesse Natal a mesma quantidade que prevíamos e mais do que no ano passado", diz o presidente da empresa, Hélio Rotenberg. "Mas rezo pela estabilidade. O Banco Central tomará decisões acertadas, e creio ser difícil o dólar se manter em um patamar tão alto por muito tempo". Segundo o executivo, 60% dos produtos de informática vendidos no Natal serão desktops e 40%, notebooks. Do comércio de portáteis, netbooks responderão por 25%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.