Os preços do petróleo fecharam em forte baixa nesta segunda-feira em Nova York, num mercado apaziguado por sinais de uma melhora da situação no Irã, quarto maior produtor do mundo, que declarou-se disposto a assumir compromissos em relação a seu programa de enriquecimento de urânio.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de WTI (West Texas Intemediate, o cru "light sweet crude" produzido nos Estados Unidos) perdeu 3,92 dólares, para terminar cotado a 141,37 dólares.

Durante a sessão, o barril de cru caiu a 139,50 dólares, afastando-se do recorde da última quinta-feira, quando chegou a 145,85 dólares.

"O mercado fez uma pausa após sua disparada do fim de semana passado", comentou Mike Fitzpatrick, da MF Global.

Entre os fatores que impulsionaram as cotações em direção a novos recordes nas últimas sessões está o temor de um ataque israelense ao Irã, que parece ter diminuído.

"Uma brisa de otimismo no sentido de esperar por uma solução pacífica soprou sobre o mercado quando se soube que o Irã havia enviado uma resposta oficial a Javier Solana, chefe da diplomacia européia", explicaram os analistas do banco Barclays Capital.

No sábado, o porta-voz do governo iraniano, Gholamhossein Elham, disse que seu país estava pronto para negociar com as grandes potências - sem, no entanto, renunciar a seus "direitos" de seguir adiante com seu programa nuclear. Isso seria um sinal de que provavelmente "o Irã vai suavizar sua posição", segundo Fadel Gheit, da Oppenheimer.

gmo/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.