Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Escândalo do leite adulterado provoca indignação na opinião pública chinesa

As marcas mais populares de laticínios desapareceram das prateleiras dos supermercados da China nesta sexta-feira, enquanto os clientes manifestam sua ira pelo leite adulterado com melamina que desatou uma crise gigantesca no país.

AFP |

O governo chinês ordenou a retirada de inúmeros produtos derivados do leite porque a melamina, um produto industrial químico tóxico, foi encontrada não só no leite em pó, conforme anunciado anteriormente, como também no leite líquido, em iogurtes e sorvetes.

Nesta sexta-feira mais da metade das lojas da rede Starbucks na China deixaram de servir leite quando a empresa soube que a Mengniu, uma das principais fornecedoras da companhia, estava ligada ao escândalo do leite adulterado com melamina.

A decisão foi tomada como uma precaução, diante do medo dos clientes pela qualidade do leite servido pela rede norte-americana, declarou a porta-voz da Starbucks em Xangai, Caren Li.

"Todos os produtos com problemas foram eliminados de nossas lojas", disse à AFP um executivo da Jian-Mart, uma popular rede de supermercados.

Nesta sexta-feira, o Unicef, fundo da ONU para a infância, pediu às autoridades chinesas que realizem uma investigação completa deste caso.

"Esperamos que as autoridades façam uma investigação completa", declarou Peter Salama, diretor do departamento de Saúde do Unicef em Genebra.

Salama lembrou que o Unicef sempre recomendou o aleitamento materno exclusivo para os bebês com menos de seis meses porque é o mais seguro para os recém-nascidos.

A Comissão Européia pediu aos países da UE que reforcem o controle em suas fronteiras da importação dos laticínios, apesar da China não exportar estes produtos para a União Européia.

"Mas por precaução, a comissária para a Saúde, Androulla Vassiliou, pediu aos Estados membros que reforcem os controles nas fronteiras para os laticínios para evitar que os produtos chineses entrem na UE, através de importações provenientes de países terceiros que comercializam neste ramo com a China", acrescentou.

Num primeiro momento, as autoridades acusaram a melamina de matar quatro recém-nascidos e provocar doenças em mais de 6.000 bebês.

Mas os temores são de que o problema seja muito mais grave, porque outros laticínios podem estar contaminados.

Uma parte do leite líquido da Mengniu, Yili e Guangming - três das principais marcas do país, consumidas por centenas de milhões de chineses - contém melamina, afirmou o governo quinta-feira.

Segundo estudo da agência nacional encarregada da supervisão da qualidade dos produtos, 24 de 295 lotes das três empresas lácteas analisadas estão contaminados.

"Os fabricantes devem lançar um chamado para recolher todos os produtos nos quais a melamina foi encontrada", afirma o site da agência governamental.

Nos últimos dias, as autoridades descobriram que algumas pessoas ou empresas na China estavam acrescentando água no leite para reduzir custos e depois colocavam melamina para aumentar o teor de proteína e dar ao produto uma aparência normal.

Segundo a imprensa, no entanto, isto acontece há anos. O governo investiga 22 empresas e já anunciou a prisão de 18 pessoas suspeitas de fornecer melamina ou de misturá-la ao leite.

fw-kma/lm/fp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG