Tamanho do texto

Quito, 9 nov (EFE).- O secretário de Comunicação da Presidência do Equador, Fernando Alvarado, rejeitou hoje as advertências da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) sobre a alta periculosidade existente no país de agressões à liberdade de expressão e afirmou que o organismo não tem qualidade moral para fazer as declarações.

Em entrevista à Agência Efe, Alvarado disse que "nenhum jornalista ou meio de comunicação do Equador pode dizer que foi ameaçado pelo Governo, nem sequer veladamente. Podem dizer, ao contrário, que o Governo emprestou todas as facilidades para investigar qualquer agressão", acrescentou.

Ressaltou ainda que o fato de o Governo liderado pelo presidente Rafael Correa ser "crítico com certos meios de imprensa que se transformam em atores políticos não significa que seja uma ameaça à liberdade de expressão, mas essas críticas enriquecem a democracia da informação", complementou.

Defendeu o direito dos funcionários públicos de responder as críticas que recebem na imprensa como uma forma de "liberdade de expressão".

A SIP fez as referências durante a 65ª assembleia que encerra amanhã em Buenos Aires. EFE ic/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.