Tamanho do texto

Quito, 17 jul (EFE).- O Governo do Equador anunciou hoje uma investigação pelos danos ocorridos na usina hidrelétrica San Francisco, no centro andino do país, construída pela empresa brasileira Odebrecht e inaugurada há um ano.

O Ministro da Eletricidade e da Energia Renovável equatoriano, Alecksey Mosquera, disse que a central de San Francisco "sofreu um dano estrutural no duto de condução", de 11 quilômetros de comprimento, por fissuras em, pelo menos, um quilômetro da galeria subterrânea.

Segundo ele, esse duto, que alimenta de água a hidrelétrica, apresentou desprendimento de rochas, pois o trecho afetado não possuía um revestimento de concreto.

Mosquera indicou que vários funcionários do Governo tiveram reuniões com diretores da Odebrecht para analisar a situação e assinalou que a firma brasileira se responsabilizará por todas as despesas de consertos.

"Existiram, sem dúvida, erros de fiscalização do projeto San Francisco por parte da empresa brasileira, por isso é preciso investigar os responsáveis pelo assunto", acrescentou o ministro.

O ministro disse ainda que já começaram os trabalhos de reparação.

San Francisco tem uma potência instalada de 230 megawatts e sua construção demandou um investimento de US$ 338 milhões.

A hidrelétrica começou a ser construída em 2004 e aproveita, mediante uma série de dutos de condução, a água do rio Pastaza, que é enviada de outra central hidroelétrica, a de Agoyán. EFE fá/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.