Tamanho do texto

QUITO (Reuters) - O presidente de Equador, Rafael Correa, ordenou na terça-feira que o Estado assuma as operações dos projetos concessionados à construtora brasileira Odebrecht no país, segundo um decreto presidencial obtido pela Reuters. Correa também ordenou a militarização dos projetos a cargo da empresa e a proibição da saída do país dos funcionários da construtora.

O presidente tinha ameaçado expulsar a Odebrecht por danos relatados em uma central hidrelétrica construída pela empresa, que não queria pagar uma compensação ao Estado, segundo o governo.

(Por Alexandra Valencia)