Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Equador afirma que Odebrecht não poderá continuar no país

Quito, 8 out (EFE).- O ministro coordenador de Áreas Estratégicas do Equador, Galo Borja, afirmou hoje que a construtora brasileira Odebrecht não poderá continuar no país, por descumprimentos na execução de obras.

EFE |

"Já tomamos uma decisão e não podemos fazer mais nada.

Trabalhamos muito e, definitivamente, a Odebrecht não poderá continuar no país", disse Borja, citado pela imprensa local.

O ministro peruano afirmou que a decisão foi tomada após uma reunião entre líderes do setor energético e o presidente do Equador, Rafael Correa, que teria cedido em alguns pontos para que a Odebrecht continuasse no país.

Correa expulsou no dia 23 de setembro a companhia brasileira do Equador, depois que foram constatados danos estruturais na hidroelétrica San Francisco, cuja infra-estrutura foi de responsabilidade da Odebrecht.

A hidroelétrica San Francisco foi inaugurada no final de 2007, mas estava fora de operação desde junho.

A Odebrecht fez uma oferta de pagar as compensações pela represa e de cumprir todas as exigências do Governo para manter suas operações no Equador, onde era responsável pela construção de outra hidroelétrica e de dois projetos hidrológicos.

No dia 2 de outubro, após analisar a proposta da companhia brasileira, Correa afirmou que se inclinava por manter a ordem de expulsão, por considerar que não dava mostras de solucionar os conflitos no Equador. EFE fa/mh

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG