Quito, 16 out (EFE).- A ministra equatoriana de Relações Exteriores, María Isabel Salvador, reconheceu hoje que as relações com o Brasil foram afetadas pelo caso da construtora Odebrecht, mas augurou uma melhora.

"Isso é claríssimo, mas esse caso está já resolvido, o Governo equatoriano tomou suas decisões mediante o último decreto", disse.

O presidente do Equador, Rafael Correa, assinou no domingo um decreto retirando o visto de altos funcionários da construtora brasileira Odebrecht, na prática expulsando-os do país.

No mesmo decreto, Correa revogou ainda os vistos de cinco funcionários da também brasileira Companhia Furnas-Centrais Elétricas.

A Furnas estava encarregada de fiscalizar a reparação da central hidrelétrica San Francisco construída pela Odebrecht, que, segundo o Governo equatoriano, apresentou falhas em sua estrutura poucos meses depois que ser entregue a ele.

Apesar destas ações, a chanceler equatoriana ventilou hoje a possibilidade de melhoras nas relações com o Brasil.

"Vamos avançar positivamente, temos que dar um tempo de repouso por toda esta situação. Para o presidente (do Brasil, Luiz Inácio) Lula da Silva, este caso no Brasil teve uma reação um pouco forte por parte da opinião pública", assinalou.

Além disso, referindo-se ao caso da Petrobras, com o fim do Estado equatoriano negocia uma mudança na modalidade do contrato de participação por um de prestação de serviços, Salvador assinalou que "está se resolvendo".

Nesse sentido, afirmou que solucionar esse caso "vai a ser absolutamente positivo" para as relações entre os países. EFE sm/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.