O consumo nacional de energia elétrica caiu 1,1% em outubro de 2009 em relação a outubro de 2008, totalizando 33.722 gigawatts-hora (GWh), o maior valor desde dezembro do ano passado, informou há pouco a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em seu boletim mensal sobre o mercado de energia.

De acordo com a EPE, o fato de o consumo total de energia ter atingido o maior volume em quase um ano pode ser entendido como um sinal de recuperação do País da crise econômica.

De acordo com a EPE, no acumulado de 12 meses até o mês passado, a variação do consumo total é negativa em 1,8%. O boletim apontou que as classes residencial e comercial mantiveram evolução positiva em outubro, de 5% e 4,9%, respectivamente, em relação a um ano antes, enquanto o consumo industrial ainda apresenta variação negativa, de -6,2%, na mesma base de comparação.

No acumulado dos dez primeiros meses de 2009, o consumo industrial caiu 9,9% e, no acumulado de 12 meses até outubro, -9%. Já os consumos residencial e comercial subiram 5,8% e 5,3%, respectivamente, em outubro deste ano em relação a outubro do ano passado, e acumulam altas de 5,7% e de 5,4% em 12 meses até outubro.

De acordo com a EPE, o ritmo de crescimento do consumo de energia elétrica em residências e no comércio fez com que fosse alterado pela primeira vez a estrutura do mercado brasileiro de energia, com a elevação das participações dos consumos residencial e comercial, em detrimento ao consumo industrial.

No ano passado, a participação conjunta dos consumos residencial e comercial no consumo total somava 39,6% contra uma participação de 46,2% do consumo industrial. Já neste ano, juntos, os consumos residencial e comercial totalizam 42,5%, enquanto a participação do consumo industrial situa-se em 42,9%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.