Por Jim Finkle BOSTON (Reuters) - A IBM espera que as vendas em países em desenvolvimento, como Brasil, Rússia, Índia e China, continuem a crescer em um nível saudável pelo menos nos próximos seis meses, disse o CEO da companhia, Mark Loughridge.

A maior empresa de serviços de tecnologia do mundo viu as vendas nesses países e em outros mercados emergentes se elevarem muito mais rapidamente do que nos Estados Unidos, na Europa Ocidental e em outras economias desenvolvidas nos últimos anos.

Loughridge disse em uma entrevista na quinta-feira esperar que a tendência continue, uma vez que governos, agências estatais e grandes corporações contratam a IBM para ajudar em projetos de modernização em áreas como telecomunicações, serviços bancários e sistemas de transporte.

"Se nós olharmos à frente, nós as luzes mais fortes chegando até a seis meses no futuro. Nós vemos oportunidades muito fortes aqui", afirmou. "Há grandes oportunidades para o desenvolvimento desses projetos de infra-estrutura."

Para o terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro, a IBM relatou um aumento de 51 por cento das vendas para a Rússia, 28 por cento para o Brasil e 24 por cento para a Índia. As vendas globais subiram 13 por cento em países emergentes durante o período.

Como comparação, os Estados Unidos apresentaram um crescimento de apenas 1 por cento, a Europa, o Oriente Médio e a África, de 10 por cento, e a Ásia, 6 por cento.

Loughridge disse que a receita cresceu apenas 3 por cento durante o trimestre na China. Mas ele atribuiu o fraco desempenho aos Jogos Olímpicos de Pequim, dizendo que os negócios em geral caíram na China porque o país estava ligado na Olimpíada.

"China... estava muito forte no início do trimestre. Houve uma pausa nos Jogos Olímpicos. Nós esperamos que volte no quarto trimestre", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.