Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Entidade global lança campanha em favor do jornal

Com o objetivo de difundir que está na hora de estancar as pregações sobre o fim dos jornais impressos, a Associação Mundial de Jornais (WAN, na sigla em inglês) partiu para uma campanha global. Nela convoca as entidades representantes dos interesses do segmento em todo o mundo a entrar na batalha pela difusão de que uma indústria com 1,6 bilhão de leitores diários não deve ser vista como uma indústria em crise.

Agência Estado |

Membro da WAN no Brasil, a Associação Nacional de Jornais (ANJ), entidade que abriga 137 títulos jornalísticos em todo o País, informa que não vai encampar a iniciativa neste momento porque está empenhada na divulgação do 7º Congresso Brasileiro de Jornais, marcado para 18 e 19 de agosto em São Paulo. Mas a campanha deve entrar na pauta das discussões da ANJ na seqüência.

"O tema central do Congresso está em total sintonia com a proposta da campanha da WAN, ao destacar um olhar para o futuro do negócio e não para uma possível crise sob o lema: O Brasil e a indústria jornalística em 2020", ressalta o assessor da entidade , Ricardo Pedreira. "Além do mais, a campanha reforça que a indústria do jornal é um segmento em transformação com a chagada da conectividade, e não uma indústria em extinção", acrescenta.

A preocupação das peças publicitárias patrocinadas pela WAN é de rebater as afirmações recorrentes sobre o desaparecimento dos jornais. Para isso, criou um mote que, de certa forma, ironiza exatamente com os sites buscadores da internet, que mais difundiram essa idéia, e lembra que eles se alimentam na produção jornalística. O slogan escolhido para a ação brinca com isso: "A busca nós fazemos. Você só tem de virar as páginas".

Uma das peças traz, além do mote da campanha em destaque, um texto que ressalta o fato de a indústria dos jornais se comunicar com 1,6 bilhão de pessoas de todas as idades, crenças e todos os grupos étnicos, proporcionando informações seja qual for o formato que o leitor prefira adotar para ler o conteúdo oferecido.

Entre os anúncios criados para reprodução por jornais associados que aderirem à proposta, há um que destaca o fato de que besteiras são constantemente proferidas. Nele estão relacionadas frases que se tornaram clássicas referências de previsões desastradas. No fim, a peça prevê que não será diferente com a reportagem da revista The Economist que, no ano passado, profetizou em suas páginas que "os jornais já são uma espécie em perigo de extinção".

Entre os argumentos relacionados pela WAN para rebater as teses derrotistas estão desde a portabilidade e credibilidade dos jornais, apesar do avanço das mídias digitais, até o fato de essa indústria movimentar ao ano US$ 190 bilhões. A WAN representa 18 mil jornais ao redor do mundo, 77 associações, 12 agências de notícias e 11 grupos regionais.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG