Pedidos cresceram em março na comparação com fevereiro, registrando a maior alta mensal desde junho de 2007, segundo a Eurostat

As encomendas à indústria dos 16 países que usam o euro cresceram 5,2% em março, em comparação com fevereiro, o maior aumento mensal desde junho de 2007, segundo a agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. Em relação a março do ano passado, o crescimento foi de 19,8%, o mais forte desde maio de 2000. Os números vieram bem melhores do que o consenso das estimativas do mercado, que era de alta de 2,5% em março ante fevereiro e de 15,0% ante março de 2009. As encomendas à indústria em fevereiro foram revisadas em alta para mostrar ganho de 1,9% no mês e de 12,5% no ano.

As encomendas à indústria excluindo equipamentos de transporte pesado subiram 4,5% em março ante fevereiro e 20,2% ante março do ano passado, o maior ganho mensal desde junho de 1997. As encomendas para transporte pesado, incluindo navios e equipamentos para ferrovias e o setor aéreo, tendem a ser voláteis e a ter impacto imediato limitado sobre a produção.

As encomendas de bens intermediários aumentaram 5,4% no mês em março, o maior ganho desde julho do ano passado. As encomendas de bens de capital subiram 5,7% e as encomendas de bens de consumo duráveis avançaram 2,4% pelo segundo mês seguido. As encomendas de bens não duráveis cresceram 4,2% e tiveram a alta mensal mais forte em três anos.

Em comparação com março do ano passado, as encomendas de bens intermediários saltaram 31,0%, o crescimento mais forte desde maio de 2000, enquanto as encomendas de bens de capital cresceram 15,6%. As encomendas de bens de consumo duráveis subiram 11,2%, o ganho anual mais forte desde agosto de 2006, e as encomendas de bens de consumo não duráveis avançaram 6,5%, a maior alta desde abril de 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.