Estatal faz acordo com Novozymes para desenvolvimento de uma nova rota para produção de biocombustíveis

selo

A Petrobras e a dinamarquesa Novozymes comunicaram hoje a assinatura de um acordo para o desenvolvimento de uma nova rota para produção de biocombustíveis, a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A tecnologia prevê que a utilização do material, somado à ação de enzimas, resulte na produção de etanol.

O acordo abrange o desenvolvimento das enzimas e de processos de produção de etanol lignocelulósico, produzido do resíduo fibroso da produção de cana.

Esse é mais um passo dado pela Novozymes na direção do desenvolvimento de materiais a partir da cana-de-açúcar no Brasil.

Além da parceria com a Petrobras, a companhia europeia já assinou memorando de entendimento com a Dedini Indústrias de Base para avançar em pesquisas sobre o desenvolvimento de uma rota tecnológica para a produção de etanol no Brasil.

A Novozymes também já firmou parceria com a petroquímica brasileira Braskem em torno do desenvolvimento de tecnologias que permitam a produção de polipropileno (PP) a partir de fontes renováveis.

Em comunicado, Petrobras e Novozymes destacam que "o potencial comercial do etanol celulósico no Brasil é considerável, devido à grande quantidade de bagaço de cana disponível no país".

O Brasil é o maior produtor mundial de cana, com capacidade de extração de cerca de 600 milhões de toneladas por ano, atualmente produzindo 27 bilhões de litros (7 bilhões de galões) de etanol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.