Dos US$ 224,7 bilhões previstos, 45% serão destinados para as áreas do pré-sal e 31% ao refino, transporte e comercialização

A Petrobras aprovou nesta sexta-feira seu plano de negócio para o período compreendido entre 2011 e 2015 no qual prevê um investimento total de US$ 224,7 bilhões, US$ 700 milhões mais que a quantidade do plano anterior que finalizava em 2014. Em um fato relevante enviado ao mercado, a companhia estatal informou que a maior concentração de investimentos, US$ 127,5 bilhões que representam 57% do total, será destinado ao segmento de prospecção e produção .

Dentro dessa verba, 45% do investimento irá para os recursos do pré-sal, as reservas de petróleo localizadas no Oceano Atlântico a grande profundidade que podem transformar o Brasil em um dos maiores exportadores mundiais. Além disso, a empresa calcula que a participação do pré-sal na produção nacional de petróleo passará de 2% em 2011 para 40,5% em 2020.

A companhia pretende destinar 31% dos investimentos totais, ou seja, US$ 70,6 bilhões, à refinaria, transporte e comercialização de petróleo, e 6%, equivalente a US$ 13,2 bilhões, ao segmento de gás e energia.

O plano inclui pela primeira vez um programa de desinvestimentos no valor de US$ 13,6 bilhões com o objetivo de conseguir "uma maior eficiência na gestão dos ativos da companhia e rentabilidade". A companhia espera "duplicar suas reservas provadas até 2020", acrescenta o texto. O plano de negócios aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras prevê a aplicação de 95% dos investimentos (US$ 213,5 bilhões) no Brasil e apenas 5% em suas atividades no exterior.

A Petrobras contempla um total de 688 projetos. Cinquenta e sete por cento dos investimentos irão para programas já autorizados para sua execução e início Na próxima segunda-feira a companhia realizará uma entrevista coletiva na qual analisará o conteúdo do plano divulgado nesta sexta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.