O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, disse hoje que a agência deverá iniciar em novembro a perfuração do primeiro poço para localizar a reserva de 5 bilhões de barris de petróleo que será usada pela União na operação de capitalização da Petrobras.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577184444&_c_=MiGComponente_C

"Vamos começar a perfurar agora, em curtíssimo prazo. Acho que em novembro começamos a perfuração", disse o diretor, em entrevista na Câmara dos Deputados.

Lima participaria nesta quinta-feira de uma audiência pública da Comissão Especial da Casa que analisa o projeto de lei que estabelece a partilha como sistema de produção no pré-sal. Segundo o próprio diretor da ANP, a audiência foi adiada para a próxima terça-feira, às 12h, porque havia poucos deputados presentes hoje à comissão.

Segundo Lima, cada perfuração para localizar os 5 bilhões de barris da Petrobras deverá custar algo entre R$ 100 milhões e R$ 130 milhões. Segundo ele, poderão ser feitos até três ou quatro perfurações. O dinheiro virá de uma taxa de 1% das chamadas Participações Especiais, que são cobradas das petroleiras. Esse 1% da participação especial é aplicado na pesquisa e no desenvolvimento do setor de petróleo. De acordo com ele, a Petrobras não vai ressarcir o investimento.

O diretor-geral da ANP disse também que não há uma discussão no governo, neste momento, para reduzir, no curto prazo, a mistura do etanol na gasolina. "Agora a mistura está em 25%, mas acho que não há uma discussão rápida para diminuir. O governo vai acompanhar (os preços)", disse Lima.

"Não acho que o governo vai interferir agora para baixar o preço. Esse movimento é sazonal, acontece todo ano. Talvez espere um pouco mais." Ontem, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, mencionou a possibilidade de redução da mistura de modo a injetar mais álcool no mercado, caso o preço continue subindo.

Leia mais sobre: Petrobras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.