Tamanho do texto

Porta-voz do Ministério de Comunicações diz que os aparelhos confiscados serão devolvidos aos donos

Israel voltou atrás e reverteu sua proibição ao uso do iPad da Apple, depois de ter confiscado os aparelhos em seus aeroportos sob a justificativa de que sinal wireless do aparelho é 40 vezes mais forte do que o limite legal permitido no país.

"Depois de verificação, descobrimos que o iPad opera em um sinal constante aos padrões exigidos", afirmou o porta-voz do Ministério de Comunicações, Yechiel Shavi, à agência de notícias AFP. Shavi acrescentou que os aparelhos confiscados serão devolvidos aos donos.

Por enquanto, o iPad está à venda apenas nos Estados Unidos, onde órgãos reguladores federais permitem sinais de Wi-Fi muito mais fortes do que o padrão europeu, seguido por Israel. No início do mês, a Apple afirmou que, por causa da alta demanda nos EUA, o aparelho começará a ser vendido internacionalmente apenas no fim de maio. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.