Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Inglês, chinês e bahasa: os muitos idiomas do Meme

Plataforma web criada por equipe brasileira é sucesso na Ásia e deve chegar em breve ao Oriente Médio

Carla Falcão, iG São Paulo |

Até alguns meses atrás, o bahasa, língua oficial da Indonésia, era apenas mais um idioma exótico de um distante país para Antônio Carlos Silveira, diretor de tecnologia e desenvolvimento de produtos do Yahoo! Brasil. Mas, desde que tiveram início, em outubro de 2009, as operações do Meme na Indonésia – aliás, do Mim, como ele foi batizado por lá – Silveira adicionou o bahasa à lista de idiomas com os quais se acostumou a trabalhar.

O Meme, vale explicar, é uma espécie de mídia social. Ou, como define seu criador, um aplicativo web para o compartilhamento de conteúdo. Em outras palavras, o Meme (expressão que na web define os conteúdos que viram febre e são reproduzidos por todo mundo) é um serviço que permite a publicação e troca, entre usuários da ferramenta, de textos, fotos, vídeos e músicas. Com uma aparência que para muitos lembra o layout do Twitter, a plataforma surgiu com a proposta de atuar no segmento de light-blogging.

Divulgação
Página do Mim em bahasa, idioma da Indonésia
Entre os blogs e suas ferramentas de publicação muitas vezes consideradas complexas para os usuários e os microblogs como o Twitter, que são mais fáceis de usar, mas restringem a quantidade de informação transmitida, existe um meio termo conhecido como light-blogging, explica Silveira. “E era justamente este nicho que desejávamos atingir ao criar o Meme. Desenvolvemos um novo produto a partir da identificação dos problemas enfrentados por usuários de blogs e microblogs”, afirma.

Criado no início de 2009 pela célula de inovação do Yahoo!Brasil, o Meme foi lançado sem alarde em abril do mesmo ano, quando apenas amigos e pessoas próximas à equipe foram convidados a testar o serviço. Mas, uma nota publicada no conhecido site de notícias sobre TI e Internet “Tech Crunch” acelerou o processo de lançamento da plataforma.

“A notícia não era das mais positivas. Mas, atraiu a atenção da matriz, que nos chamou para explicar o funcionamento do serviço em uma reunião em maio de 2009 na California. Após uma breve apresentação, a primeira pergunta que tivemos que responder foi sobre os países em que poderíamos lançar o aplicativo rapidamente”, afirma Silveira.

De Meme para Mim

A partir da reunião na sede do Yahoo!, a expansão da plataforma criada no Brasil foi célere. Em junho, já havia sido criada a verão em espanhol, e em agosto, surgiu o serviço em inglês. Mas, apesar de estar presente no Brasil, Argentina e México, o Meme curiosamente cresceu e apareceu em países distantes como Indonésia, Taiwan e Filipinas. Silveira atribui tal resultado ao crescimento do número de internautas nesses países e à carência de ferramentas para esses públicos. Na Indonésia, por exemplo, o número de pessoas conectadas à web cresce a uma taxa de 40% ao ano. Nas Filipinas, esse percentual salta para 70% ao ano, segundo pesquisas internacionais.

A expansão por mercados tão diferentes obrigou a equipe brasileira a trabalhar em uma série de adaptações para facilitar a aceitação do serviço. Na Indonésia, a primeira mudança atingiu o nome da plataforma, que foi batizada como Mim. Meme, em bahasa, tem pronúncia muito próxima a de um palavrão no país. Outra mudança sutil, mas importante, foi o cuidado na exposição do mascote do aplicativo, um cachorrinho. País de maioria muçulmana, a Indonésia enxerga os cães de maneira diferente, o que obrigou os brasileiros a evitar a humanização do mascote.

Prestes a completar um ano, o serviço deve chegar em breve ao Oriente Médio, onde o Yahoo! acaba de adquirir o portal árabe Maktoob, como parte de sua estratégia de expansão em mercados emergentes com alto potencial de crescimento. Os próximos passos incluem ainda a criação de novas ferramentas (ou features, no jargão da área de tecnologia) para a plataforma. Silveira não revela detalhes, mas diz que soluções relacionadas ao trânsito em grandes cidades fazem parte do novo pacote em estudo.

Analista de redes sociais da consultoria Full Hauss, Yumi Nagamato diz que é cedo para apostar na consolidação do Meme, uma vez que o período médio de maturação de serviços semelhantes é de dois anos. “O aplicativo ainda está na fase de ser utilizado pelos internautas que antecipam tendências, os chamados early adopters”, afirma. A analista reconhece, entretanto, que a rápida expansão da ferramenta por diferentes países pode facilitar seu processo de crescimento. “A facilidade para troca de informações e conteúdo é um grande trunfo do Meme e o Yahoo! tem aí uma boa oportunidade para fazer sucesso na esteira do Twitter”, diz.
 

Leia tudo sobre: MemeinovaçãoYahoomidias sociais

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG