Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Termina greve em obra de usina do PAC no Ceará

Trabalhadores voltaram só hoje ao canteiro de obras, após acordo feito com as empresas e a Justiça na sexta-feira

Danilo Fariello, enviado especial a Fortaleza |

Após o período de uma semana em greve, praticamente todos os 3200 funcionários da usina termelétrica Energia Pecém voltaram hoje ao trabalho. A obra, que faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), é construída por consórcio formado pela MPX, do grupo EBX de Eike Batista, e pela EDP, empresa portuguesa de energia.

A retomada do trabalho foi feita após acordo celebrado entre os trabalhadores e empresa na sexta-feira, firmado sob o auxílio da Procuradoria e da Superintendência regionais do trabalho do Ceará. A usina térmica de carvão ficará no município de São Gonçalo do Amarante. Após terminada, terá capacidade de gerar 720 MW, o suficiente para acender uma cidade com aproximadamente 5,6 milhões pessoas.

Pelo acordo feito com os trabalhadores, o consórcio subcontratado para promover as obras deverá pagar ainda em agosto aos funcionários a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que nunca havia sido pago, segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção, Pavimentação e Obras de Terraplenagem do Ceará (Sintepav-CE).

Além do PLR, pelo acordo, as empresas se comprometeram a conceder um dia a mais de folga de campo (o período em que os trabalhadores vindos de outras cidades têm para visitar sua casa) e a oferecer aos funcionários a possibilidade de incluir familiares no plano de saúde empresarial com desconto de 14% por dependente, que eram algumas das demandas dos trabalhadores.

O acordo foi celebrado na sexta-feira, mas, ontem, um grupo de cerca de 1500 funcionários insatisfeitos com a proposta das empresas ainda impediu o restante dos colegas de entrar no canteiro de obras. Hoje, porém, segundo o Sintepav-CE, praticamente todos os funcionários voltaram ao trabalho.

Na terça-feira da semana passada, a Justiça cearense declarou a greve ilegal, determinando imediato retorno dos funcionários ao trabalho. Pelo acordo firmado na sexta-feira, porém, as multas previstas pela greve que continuou por mais dias foram anuladas.

Segundo a MPX, a greve não afetou o cronograma da obra da usina térmica, que deverá ser encerrada totalmente no segundo semestre de 2011.

Leia tudo sobre: grevempxedptermelétricacearápecém

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG