Unite ofereceu hoje suspender a greve dos comissários de bordo e pilotos da British Airways, que deve começar à meia-noite

Londres - O sindicato Unite propôs hoje suspender a greve dos comissários de bordo e dos pilotos da British Airways (BA), que deve começar pouco depois da meia-noite, se a empresa renunciar às sanções. Tom Woodley, um dos dois secretários gerais do sindicato, disse que, como sinal de boa vontade, suspenderá a greve se a British Airways prometer não punir os grevistas anteriores do direito dos voos anuais gratuitos ou a preço reduzido.

Woodley disse que o sindicato e o executivo-chefe da British Airways, Willie Walsh, havia feito importantes progressos no sábado e estavam perto de um acordo quando o acerto foi interrompido pela entrada no prédio de arruaceiros de "extrema esquerda". Woodley disse que não há nada que impeça "finalizar o acordo" com a empresa e acrescentou que "só falta esclarecer alguns pontos".

Entrevistado pela BBC, Walsh expressou nesta manhã sua indignação pelo episódio de ontem e também com o fato de interlocutores sindicais, em especial o secretário-geral Derek Simpson, ter colocado no Twitter detalhes das negociações.

Os comissários de bordo e os pilotos da BA protestam contra as demissões e a piora nas condições trabalhistas e salariais. Nesta semana, a companhia aérea anunciou perdas anuais líquidas recordes de 425 milhões de libras (484 milhões de euros) no último ano. Walsh se mostrou hoje decidido a realizar as reformas contra as quais protestam os funcionários da empresa e disse que a "BA sobreviverá e sairá fortalecida".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.