Tamanho do texto

A Petrobras informou que atingiu uma produção de petróleo de 2,005 milhões de barris por dia em julho

selo

A Petrobras informou hoje que atingiu uma produção de petróleo de 2,005 milhões de barris por dia em julho de 2010, volume 3,4% superior ao mesmo período no ano passado e 1,4% maior do que o produzido em junho deste ano. A Petrobras atribuiu o aumento, de 27.217 barris na produção média diária, ao início de operação da plataforma FPSO-Cidade de Santos, nos campos de Uruguá e Tambaú (Bacia de Santos) e da entrada de novos poços no FPSO-Capixaba, no Parque das Baleias, no mar do Espírito Santo (Bacia de Campos). Também contribuiu para o aumento o retorno à produção da plataforma P-43, no Campo de Barracuda (Bacia de Campos), que no mês de junho se encontrava em manutenção programada.

Em nota à imprensa, a estatal informou também que sua produção total (de óleo e gás) no Brasil e no exterior em julho foi de 2,58 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed). Esse resultado ficou 3,3% acima do volume registrado no mesmo mês de 2009, e 0,7% maior do que o total produzido em junho de 2010.

A produção de gás natural dos campos nacionais atingiu 52,601 milhões de metros cúbicos diários em julho, mantendo-se nos mesmos níveis em relação ao mês anterior e ao mesmo mês de 2009.

O volume médio de petróleo e gás natural extraídos dos campos situados nos países onde a Petrobras atua no exterior chegou a 245 mil barris de óleo equivalente por dia em julho, representando um aumento de 0,6% em relação a julho de 2009. Segundo a estatal, contribuiu para o resultado a entrada em produção de novos poços nos campos de Akpo e de Agbami, ambos na Nigéria. Quando comparado com junho de 2010, o volume apresentou uma redução de 1,2%, devido a questões operacionais em Akpo.

A produção de gás natural no exterior foi de 16 milhões de metros cúbicos, registrando um acréscimo de 1,1% em relação a junho de 2010, em função de maior produção na Argentina. Já em comparação com o mesmo mês do ano passado, houve uma redução de 6,7%, em decorrência de menor produção na Argentina, Estados Unidos e Venezuela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.