São Paulo, 21 - A parceria anunciada hoje entre a Petrobras Biocombustível (PBio) e a São Martinho para produção de etanol elevará a capacidade de moagem da PBio dos atuais 20 milhões de toneladas de cana por ano para entre 28 milhões e 30 milhões de toneladas até 2014. A intenção é impulsionar a produção de etanol e energia na região Centro-Oeste, área considerada prioritária pelas duas empresas.

São Paulo, 21 - A parceria anunciada hoje entre a Petrobras Biocombustível (PBio) e a São Martinho para produção de etanol elevará a capacidade de moagem da PBio dos atuais 20 milhões de toneladas de cana por ano para entre 28 milhões e 30 milhões de toneladas até 2014. A intenção é impulsionar a produção de etanol e energia na região Centro-Oeste, área considerada prioritária pelas duas empresas. A associação entre as companhias ocorre por meio da criação de uma nova empresa chamada Nova Fronteira Bioenergia, que controlará a usina Boa Vista, em Quirinópolis (GO), e um projeto greenfield denominado SMBJ, também em Goiás. "A nova empresa será o pivô da articulação para o crescimento na região central do País", disse o presidente da PBio, Miguel Rossetto. Ele destacou a necessidade de investimentos em logística na região para viabilizar o avanço, mas não detalhou projetos específicos. A Petrobras aportará R$ 420,8 milhões no negócio e terá fatia de 49%. A São Martinho entrará com os ativos já existentes e terá participação de 51%. Com os novos investimentos, a capacidade da Nova Fronteira Bioenergia sairá dos atuais 2,5 milhões de toneladas para 7 milhões de toneladas na safra 2014/15. As companhias não detalharam o projeto greenfield porque ambas estão em período de silêncio. O detalhamento deve ocorrer em 90 dias, após a conclusão da auditoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.