A retração econômica não abateu o ânimo da Odebrecht em relação ao mercado americano. Empresa começa obra nos EUA esta semana

A retração econômica não abateu o ânimo da Odebrecht em relação ao mercado americano. Nesta semana, a empresa começou a executar mais uma obra nos Estados Unidos. A empresa participa da reconstrução da cidade de Nova Orleans, no Estado do Mississippi. O lugar foi arrasado pelo furacão Katrina em agosto de 2005 e até hoje a população sofre com os estragos.

A Odebrecht assinou um contrato de US$ 175 milhões com a agência US Army Corps of Engineers, divisão de engenharia das Forças Armadas americanas, para a execução de quatro estações de bombeamento de água no Lago Pontchartrain. O objetivo da obra é evitar enchentes provocadas por furacões. O início do processo de licitação foi em setembro do ano passado e a Odebrecht foi a única estrangeira entre as empresas interessadas.

Atuação

A Odebrecht completa neste ano duas décadas de operação em território americano. Com o contrato com as Forças Armadas, a empresa está perto de chegar a US$ 2 bilhões em obras em carteira no País. No ano passado, a receita obtida com os projetos nos Estados Unidos respondeu por 5% do faturamento da Odebrecht Construtora, ou cerca de US$ 300 milhões. Em 20 anos de atuação no país, foram assinados 55 obras, gerando um caixa de US$ 3 bilhões, com 12 mil trabalhadores contratados.

"Ainda não dá para falar em porcentual, mas acreditamos no potencial de crescimento no país", diz Gilberto Neves, diretor superintendente da Odebrecht nos Estados Unidos. De acordo com o executivo, a estimativa é que o contrato em Nova Orleans gere por volta de 300 empregos - praticamente apenas para americanos. "Não temos por política levar funcionários brasileiros para outros países, a não ser em funções estratégicas, como de engenharia", explica Neves. A

lém de Nova Orleans, a Odebrecht executa no momento um pacote de 13 obras no aeroporto de Miami, no Estado da Flórida, como a construção de uma estação central de aluguel de carros, um metrô aéreo e um terrestre. Recentemente, a empresa ganhou uma licitação para construir, em frente ao terminal aeroviário, um centro comercial e hoteleiro, no valor de US$ 600 milhões.

o momento, de acordo com Neves, a Odebrecht se prepara também para participar da licitação para a construção da infraestrutura para o trem-bala, ao custo de US$ 42 bilhões, que vai interligar Orlando, Tampa e Miami.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.