Construída ao preço de US$ 7,5 milhões, ela tem capacidade para produzir um megawatt, energia suficiente para abastecer mil casas

Foto da turbina marítima AK1000: produção de energia para mil casas por US$ 7,5 milhões
Divulgação
Foto da turbina marítima AK1000: produção de energia para mil casas por US$ 7,5 milhões
A Atlantis Resources Corporation apresentou a maior turbina de energia marítima do mundo. Ela tem 23 metros de altura, pesa 1,4 mil toneladas e tem duas hélices com pás de 18 metros cada. Quando for instalada no fundo do mar ao norte da Escócia, o que deve acontecer até o final de setembro, ela será capaz de produzir 1 megawatt, energia suficiente para abastecer cerca de mil casas.

Batizada de AK1000, a turbina funciona como uma torre de energia eólica embaixo da água. Ou seja, a força das ondas impulsiona as pás, que por sua vez movimentam um gerador responsável pela produção de energia. A turbina foi produzida ao preço de US$ 7,5 milhões. Nos próximos três anos, Atlantis quer ampliar a produção de energia para 150 megawatt e espera que esse número chegue a 700 megawatt até 2020.

“A AK100 é mais um passo da indústria para a comercialização da energia marítima”, disse Timothy Cornelius, presidente da Atlantis, durante a apresentação da turbina. A produção de energia das ondas ainda é muito pequena quando comparada a outras fontes renováveis, como eólica e solar. A maior parte das turbinas em operação hoje, inclusive uma que será instalada no porto do Pecem, no Ceará, são protótipos em fase de teste.

Assim como o vento, as ondas são consideradas grande fonte de energia. Com uma vantagem: como a água é mais densa do que o ar, seu movimento tem potencial para produzir mais megawatts. Os defensores desse tipo de tecnologia listam outras vantagens em relação às outras energias renováveis: colocadas embaixo da água, as turbinas são mais silenciosas e não estragam a paisagem.

A primeira vez que as ondas foram utilizadas como uma fonte de energia renovável foi na década de 1970. Apesar de já ser pesquisada há mais de 30 anos, ela ainda representa um grande desafio tecnológico. O local ideal para a instalação de turbinas são lugares com a incidência de fortes ondas e correntes marítimas, o que faz com que o processo seja muito difícil até mesmo quando o clima apresenta boas condições.

No Brasil, o primeiro projeto para a produção de energia a partir da força das ondas está sendo instalado no Porto do Pecém, na Grande Fortaleza. O governo do Estado do Ceará e o grupo franco-belga Tractebel vão investir R$ 12 milhões para produzir 100 KW, que serão usados para iluminar o porto. A vantagem em relação às outras formas de energia? A proximidade dos centros consumidores, concentrados no litoral, e a constância da maré.

Clique no infográfico abaixo para entender como funcionam os diferentes tipos de produção de energia renovável:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.