A LLX, empresa de logística do grupo do empresário Eike Batista, informou hoje que sua subsidiária LLX Sudeste Operações Portuárias assinou os contratos para a execução de obras civis e compra de equipamentos do Porto Sudeste

A LLX, empresa de logística do grupo do empresário Eike Batista, informou hoje que sua subsidiária LLX Sudeste Operações Portuárias assinou os contratos para a execução de obras civis e compra de equipamentos do Porto Sudeste. As obras civis, que incluem a construção do pátio de estocagem de minério de ferro, túnel de ligação e estrutura, serão realizadas pelo consórcio ARG-Civilport. Todas as obras serão desenvolvidas simultaneamente, com prazo de conclusão previsto para o fim de 2011. A empresa também adquiriu os principais equipamentos utilizados na operação do terminal. Segundo comunicado, foram comprados dois viradores duplos de vagões com a Thyssen Krupp e dois carregadores de navio com a ZPMC, empresa chinesa líder no segmento de equipamentos portuários. Os bens importados deverão ser financiados por agências de crédito de exportação. Todos os equipamentos já adquiridos e os outros em fase de contratação possuem cronograma de entrega compatível com o término das obras civis. De acordo com a LLX, os valores dessas aquisições estão dentro do orçamento de R$ 1,8 bilhão previsto para o Porto Sudeste, localizado no município de Itaguaí, a 80 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro e a 2 quilômetros da malha ferroviária da MRS. Ele será um terminal portuário privativo de uso misto com profundidade de 21 metros e terá capacidade inicial para movimentar 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, com possível expansão para 100 milhões de toneladas. O Porto Sudeste deverá escoar a produção das minas da MMX Mineração e Metálicos S.A., localizadas em Minas Gerais, e de outros produtores de minério de diversas áreas do quadrilátero ferrífero de Minas Gerais. A previsão é de que a operação do terminal comece no início de 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.