Tamanho do texto

Horário de verão começa a zero hora do próximo domingo (17); regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste terão de adiantar relógio em 1h

selo

O horário de verão deverá proporcionar uma redução do consumo de energia elétrica, nos momentos de pico de demanda, de cerca de 5% no Sudeste, no Centro-Oeste e no Sul do País. A estimativa foi feita nesta quinta-feira pelo secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME), Ildo Grüdtner.

Segundo ele, esse é o mesmo porcentual de redução da demanda verificado nos anos anteriores. O principal objetivo do horário de verão é aliviar a carga entre as 19 e as 21 horas, período em que a maior parte das pessoas chega em casa, toma banho, e a iluminação pública é acionada. Como os relógios são adiantados em uma hora, esse pico do consumo é diluído, pois a luz natural do dia é aproveitada por mais tempo.

Segundo Grüdtner, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a diminuição da demanda no horário de pico será de 1.945 megawatts (MW), o equivalente a duas vezes o consumo de Brasília (DF) no horário. Na região Sul, a redução da demanda entre o fim da tarde e o começo da noite será de 585 MW, o correspondente a 75% da demanda de Porto Alegre (RS) no horário. A redução geral do consumo, considerando todo o dia e não apenas o horário de pico, deverá ser de 0,5%.

O horário de verão começa a zero hora do próximo domingo, dia 17, quando os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste terão de adiantar os relógios em uma hora. A medida valerá até a zero hora do dia 20 de fevereiro de 2011. Ao contrário de outros anos, o governo não esperou o término do segundo turno das eleições para implantar a mudança. Segundo Grüdtner, dessa vez não foi necessário esperar pelo segundo turno porque as urnas eletrônicas já foram adaptadas para a mudança do horário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.