Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Dois grupos se habilitam para leilão de Belo Monte

Consórcios aportaram garantias de R$ 190 milhões, avalizadas pelo Bradesco, para participar do leilão da usina pela Aneel na terça

Nelson Rocco, iG São Paulo |

Dois consórcios de empresas se habilitaram para participar do leilão da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, que será realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na terça-feira, dia 20. O consórcio Nova Energia, com nove empresas, e o Belo Monte Energia, com seis empresas, aportaram as garantias necessárias para participar do leilão, no valor de R$ 190 milhões, ou 1% do valor estimado para ser investido na construção da usina. As garantias foram avalizadas pelo Bradesco, segundo comunicado da Aneel.

O consórcio Nova Energia é comporto pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), com 49,98%; Construtora Queiroz Galvão, com 10,02%; Galvão Engenharia, com 3,75%; Mendes Junior Trading Engenharia, com 3,75%; Serveng-Civilsan, com 3,75%; J. Malucelli Construtora de Obras, com 9,98%; Contern Construções e Comércio, com 3,75%; Cetenco Engenharia, com 5%; e Gaia Energia e Participações, com 10,02%.

O concorrente consórcio Belo Monte Energia é integrado pela Andrade Gutierrez Participações, com 12,75%; Vale, com 12,75%; Neoenergia, com 12,75%; Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), com 12,75%; Furnas Centrais Elétricas, com 24,5%; e Eletrosul Centrais Elétricas, com 24,5%.
 

Segundo a Aneel, o treinamento e simulação do leilão serão realizados amanhã (17/04), com participação restrita dos representantes dos consórcios inscritos. O leilão será promovido pela agência, com operacionalização da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), por delegação da Agência.
“O vencedor da disputa será a empresa (nacional ou estrangeira), FIP (Fundo de Investimento em Participações) ou Entidade de Previdência Complementar, ou ainda consórcio que reúna quaisquer destes tipos de participantes, que ofertar o menor lance, em reais por megawatt-hora (R$/MWh) de energia. O preço-teto foi definido pelo Ministério de Minas e Energia em R$ 83 por MWh”, informa o comunicado.
 

A usina será instalada no Rio Xingu e terá capacidade instalada de 11.233,1 MW, com geração de 4.571 MW médios de garantia física, que corresponde à quantidade máxima de energia e de potência que poderá ser utilizada para comprovação de atendimento de carga ou comercialização de contratos. O início da geração está previsto para fevereiro de 2015, quando entra em operação comercial a primeira máquina da casa de força complementar (Sítio Pimental). A conclusão está prevista para 2019, com a entrada em operação da última unidade geradora da casa de força principal (Sítio Belo Monte), informa o texto da agência.
 

Leia tudo sobre: Belo MonteAneelleilãoconsórcios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG