Maurício Tolmasquim disse nesta quinta que prevê a antecipação da conclusão das obras da hidrelétrica para meados de 2014

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, prevê uma antecipação de seis meses na conclusão da obra da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). Segundo ele, a estimativa toma como base as informações prestadas pelo consórcio vencedor do leilão. Ontem, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou o resultado do leilão vencido pelo consórcio liderado pela Chesf, a empreiteira Queiroz Galvão e a Gaia Energia e Participações.

"Eu tenho escutado do grupo vencedor falar em até seis meses. Era 2015 e seria meados de 2014 a primeira máquina (turbina)", disse. Para o executivo, já é possível estimar que a licença de instalação para Belo Monte seja obtida até outubro. A previsão inicial era início de 2011.

 Após uma palestra no Encontro de Conselheiros da Previ 2010, em Mata de São João, no litoral norte da Bahia, Tolmasquim afirmou que as mudanças no projeto de engenharia de Belo Monte não devem gerar contestações jurídicas. O presidente da EPE considera normal as atuais negociações do consórcio vencedor com outros grupos para a entrada de novos sócios no projeto.

Durante o evento, o executivo disse também que energia não será entrave ao crescimento da economia até 2014 mesmo que o Brasil cresça a uma taxa de 6% ao ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.