CPFL e Equatorial têm até fim do ano para comprar Grupo Rede

Empresas assinaram um memorando de entendimentos com o objetivo de assumir o controle indireto do endividado Grupo Rede, que precisa de um aporte de R$ 773 milhões

Reuters |

Reuters

A CPFL e a Equatorial Energia têm até o fim deste ano para negociar com exclusividade a compra do controle do Grupo Rede Energia, afirmou nesta terça-feira o presidente da CPFL, Wilson Ferreira Junior.

Na quinta-feira passada, CPFL e Equatorial assinaram um memorando de entendimentos com o objetivo de assumir o controle indireto do endividado Grupo Rede, 40 dias após o governo ter decretado intervenção em oito de suas nove distribuidoras.

"A operação, se for feita, terá que ser feita com todos os ativos do Grupo Rede", disse Ferreira Junior, ao se referir às distribuidoras sob intervenção do governo, além de outros ativos.

Ele acrescentou que a CPFL e a Equatorial estão começando a ter acesso às informações do plano de recuperação do Grupo Rede que os acionistas do Grupo Rede irão avaliar isso em assembleias na próxima semana.

Esse plano de recuperação, após aprovação nas assembleias do Grupo Rede, ainda tem que receber o aval da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O plano elaborado pelos controladores atuais do Grupo Rede prevê a necessidade de um aporte de cerca de R$ 773 milhões por parte de investidores.

"Nós estamos tendo acesso a esse trabalho agora, mas ele seguiu parâmetros que a própria Aneel considera parâmetros de boa saúde financeira. Então me parece que tendo seguido os parâmetros da agência, sim seria um valor correto para fazer esse aporte", disse o presidente da CPFL.

(Por Anna Flávia Rochas)

Leia tudo sobre: energiaconcessõescpflequatorialgrupo rede

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG