Indústria ganhará com energia mais barata, diz CNI

Segundo Confederação, corte é um passo importante para diminuir o custo Brasil, aumentar a competitividade da indústria e favorecer o crescimento da economia brasileira

Agência Estado |

Agência Estado

A redução da tarifa de energia elétrica, anunciada na quinta-feira (6) pela presidente Dilma Rousseff, é um passo importante para diminuir o custo Brasil, aumentar a competitividade da indústria e favorecer o crescimento da economia brasileira, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em nota, a CNI ressalta que a energia é um dos principais insumos da indústria. "Por isso, a decisão do governo vai alterar a estrutura de custos das empresas e pode fazer com que a energia elétrica volte a ser uma vantagem competitiva do setor produtivo".

LeiaDilma anuncia redução de 16,2% na conta de luz para casas e 28% para indústrias

Segundo a Confederação, atualmente, sem a redução anunciada pela presidente, o custo médio da tarifa de energia elétrica para a indústria no Brasil é de R$ 330 por megawatt/hora, o quarto valor mais alto do mundo, atrás apenas do cobrado na Itália, na Turquia e na República Tcheca. "A tarifa no Brasil é o triplo da dos Estados Unidos e do Canadá e o dobro da cobrada na China, Coreia do Sul e França", destaca.

TambémAbrace elogia medida de redução de custo de energia

A CNI ressalta ainda que quase metade da tarifa brasileira é formada por encargos e tributos. Para a CNI, a redução da tarifa diminuirá o custo dos produtos brasileiros e, o mais importante, beneficiará a população. Em pronunciamento de 11 minutos feito na quinta-feira (6) em cadeia nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff anunciou a redução em 16,2% das tarifas de energia elétrica cobrada dos consumidores residenciais e de até 28% na eletricidade paga pelas indústrias. A Medida Provisória com as mudanças será assinada na próxima terça-feira (11) e entrará em vigor em janeiro de 2013.

Leia tudo sobre: CNIindústriatarifaconta de luzdilma rousseff

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG