Tamanho do texto

PespiCo, dona da marca brasileira, vai aumentar produção em 40% com a inauguração de unidade na Bahia

Disputa em um mercado estimado em R$ 1,5 bilhão com taxas crescentes de consumo
Getty Images
Disputa em um mercado estimado em R$ 1,5 bilhão com taxas crescentes de consumo
A disputa entre as duas marcas mais vendidas de achocolatados no País, o Nescau, da Nestlé, e o Toddy, da PepsiCo, vai se acirrar no ano que vem. Os fabricantes não revelam os dados de faturamento nem da participação no segmento de achocolatados em pó. Mas rivais de menor porte calculam que o mercado movimentou R$ 1,5 bilhão no ano passado - com taxas de crescimento acima dos dois dígitos.

Os dois produtos são, de longe, os mais presentes na mesa dos brasileiros no café da manhã. Mas o Toddy vem atrás do Nescau em grande parte dos mercados consumidores. Para reverter o jogo, a PepsiCo vai inaugurar, no primeiro semestre de 2011, uma nova fábrica de Toddy, que aumentará em 40% a sua capacidade de produção.

O achocolatado só é produzido hoje na unidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, que não possui mais espaço para expansão. A nova fábrica custará US$ 20 milhões e será um dos mais altos investimentos da divisão de alimentos da multinacional americana no Brasil em 2011.

O local para a instalação da nova unidade, em Feira de Santana, na Bahia, também foi escolhido a dedo. Assim como a Nestlé, a PepsiCo decidiu aumentar a sua presença no Nordeste, onde a demanda por bens de consumo mais cresce com o maior poder de compra das classes C e D.

“O Toddy é a marca que mais tem crescido no portfólio da PepsiCo”, afirmou Otto von Sothen, presidente da área de alimentos da multinacional no país, em entrevista ao iG . A nova fábrica vai reduzir os custos logísticos para a distribuição no Nordeste, além de aliviar a fábrica de Guarulhos, que poderá atender melhor os mercados ao Sul.

Nos últimos dez anos, a Pepsi vem registrando uma forte crescimento na área de alimentos no Brasil, de dois dígitos por ano, e o Toddy é prioritário dentro dos planos de expansão do grupo. "Somos hoje três vezes maiores do que éramos há sete anos no Brasil", diz von Sothen.

Otto von Sothen, presidente da PepsiCo, Divisão de Alimentos no Brasil: interesse por aquisições
Divulgação
Otto von Sothen, presidente da PepsiCo, Divisão de Alimentos no Brasil: interesse por aquisições
Durante sua visita ao Brasil, em 2008, a CEO mundial da Pepsi, a indiana Indra Nooyi, que costuma ser citada como uma das executivas mais poderosas do mundo, anunciou investimentos de US$ 300 milhões no Brasil entre 2008 e 2013. Fora dos Estados Unidos, o Brasil é a quarta maior operação da PepsiCo no mundo na área de alimentos. O país está atrás das divisões Sabritas (salgadinhos) e Gamesa (biscoitos) no México, e da Walker (biscoitos) no Reino Unido. Atualmente, a divisão de alimentos já responde por cerca de 60% das vendas globais da PepsiC, ultrapassando o seu negócio de origem, os refrigerantes.

Interesse por aquisições

O Brasil é o único lugar onde a PepsiCo vende achocolatos. A marca Toddy é brasileira e foi incorporada  quando a multinacional de bebidas comprou em 2002, globalmente, a Quaker, mais conhecida pela marca de aveia. Além do Toddy, também vieram com a aquisição outros negócios no Brasil, como a marca de peixes em lata Coqueiro e a bebida isotônica Gatorate. 

As duas últimas aquisições da PepsiCo no mercado brasileiro foram a marca de água de coco Kero-Coco e a Lucky, fabricante de salgadinhos para a classe C.

A multinacional continua prospectando aquisições no Brasil no setor de alimentos, mas von Sothen respóndeu que não se manifesta a respeito de possíveis negócios. "O que posso dizer é que continuamos buscando (aquisições) ", diz von Sothen. o iG apurou que a empresa sondou alguns fabricantes locais. Segundo um consultor, por já atuar em biscoitos em outros países, é provável que a Pepsi tenha interesse em reforçar sua atuação nesse segmento no Brasil.

Mas os ativos no Brasil estão valorizados. "Em dólar, o País está inegavelmente mais caro. Mas também há grandes oportunidades", diz o presidente da divisão de alimentos de PepsiCo. 

O principal foco da empresa, expliva von Stohen, está em alimentos de conveniência. São produtos que são abertos e consumidos. Nesta categoria estão as marcas de salgadinhos Ruffles (batata frita), Doritos (de milho), e Fadangos. Seguindo esse mesmo conceito, a empresa lançou os bicoitos de aveia Quaker de bolso, em embalagens pequenas.      

Neste ano, a Pepsi também investiu na segunda fábrica de salgadinhos da Lucky em Suape, em Pernambuco, na qual foram investidos R$ 20 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.