Foram produzidas 329,1 mil unidades em agosto

A indústria brasileira de veículos continuou apresentando performance aquecida em agosto, com produção perto de nível recorde e vendas no maior patamar já registrado para o mês.

O setor apurou em agosto alta de 3,4% no volume produzido na comparação com julho, alcançando 329,1 mil unidades. Em relação a agosto de 2009, houve alta de 11,5%.

O recorde histórico de produção em um mês foi registrado em março deste ano: 339,7 mil unidades, quando venceu o desconto no IPI concedido pelo governo durante a crise internacional.

Em vendas, a indústria registrou alta mensal de 3,5% e anual de 21,2%, para 312,8 mil unidades, perto do recorde histórico de 353,7 mil unidades também de março.

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, a produção nacional cresceu 17,5%, para 2,41 milhões de veículos. Enquanto isso, o volume comercializado somou 2,19 milhões de unidades, evolução de 10,1% sobre o mesmo período de 2009.

O setor registrou exportações de 1,14 bilhão de dólares em agosto, 0,8% acima do apurado em julho e salto de 54,9% sobre o fraco período de um ano antes. Sem incluir máquinas agrícolas, as exportações de veículos somaram 65.436 unidades, crescimento de 42,8% na comparação com agosto de 2009 e queda de 1,5% sobre julho.

No acumulado do ano, as exportações, incluindo máquinas agrícolas, somam US$ 8,03 bilhões, 63,7% acima do obtido no mesmo período de 2009.

As montadoras encerraram o mês com 132.978 postos de trabalho ocupados, avanço de 10,3% sobre agosto de 2009 e relativa estabilidade na comparação com julho.

A Fiat voltou a liderar o mercado brasileiro, apesar de apresentar queda de 0,5% nas vendas na comparação com julho. A montadora italiana registrou licenciamentos de 69.709 automóveis e comerciais leves em agosto.

A Volkswagen aparece em seguida, com vendas de 62.147 unidades, avanço de 2,8% sobre julho. A General Motors registrou 55.520 unidades licenciadas, alta de 1,52%. Já a Ford teve crescimento de 2,62% nas vendas, para 29.418 unidades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.