SÃO PAULO - A produção brasileira de alumínio primário alcançou 130,6 mil toneladas em julho, superando em 1% o volume de igual mês do ano passado (129,3 mil toneladas), de acordo com balanço divulgado hoje pela Associação Brasileira do Alumínio (Abal). No acumulado dos sete primeiros meses do ano, o país produziu 891,8 mil toneladas, o que corresponde a uma queda de 0,8% na comparação com o período de janeiro a julho de 2009. Considerando-se apenas os números do mês passado, a Albras, subsidiária da Vale no Pará, teve produção de 38,6 mil toneladas, uma alta de 0,8% em relação ao desempenho de julho de 2009. O destaque, no entanto, foi a produção da Alcoa nas unidades de Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA), que marcou alta de 8% na mesma base de comparação, para 29,7 mil toneladas.

SÃO PAULO - A produção brasileira de alumínio primário alcançou 130,6 mil toneladas em julho, superando em 1% o volume de igual mês do ano passado (129,3 mil toneladas), de acordo com balanço divulgado hoje pela Associação Brasileira do Alumínio (Abal). No acumulado dos sete primeiros meses do ano, o país produziu 891,8 mil toneladas, o que corresponde a uma queda de 0,8% na comparação com o período de janeiro a julho de 2009. Considerando-se apenas os números do mês passado, a Albras, subsidiária da Vale no Pará, teve produção de 38,6 mil toneladas, uma alta de 0,8% em relação ao desempenho de julho de 2009. O destaque, no entanto, foi a produção da Alcoa nas unidades de Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA), que marcou alta de 8% na mesma base de comparação, para 29,7 mil toneladas. Por sua vez, a produção da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) subiu 0,2%, chegando a 40,4 mil toneladas. Na direção oposta, o volume produzido pela Novelis em Ouro Preto (MG) e Aratu (BA) caiu 15,3%, para 7,2 mil toneladas no mês passado. (Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.