RIO - A produção total da Petrobras no primeiro semestre subiu 3%, passando de 2,503 milhões de barris de óleo equivalente por dia entre janeiro e junho do ano passado para 2,568 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) nos seis primeiros meses deste ano. De acordo com o diretor financeiro e de relações com investidores da estatal, Almir Barbassa, o crescimento da produção no exterior foi impulsionada pela entrada em operação do campo de Akpo e pelo aumento da produção em Agbami, ambos na Nigéria.

RIO - A produção total da Petrobras no primeiro semestre subiu 3%, passando de 2,503 milhões de barris de óleo equivalente por dia entre janeiro e junho do ano passado para 2,568 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) nos seis primeiros meses deste ano. De acordo com o diretor financeiro e de relações com investidores da estatal, Almir Barbassa, o crescimento da produção no exterior foi impulsionada pela entrada em operação do campo de Akpo e pelo aumento da produção em Agbami, ambos na Nigéria. No país, a produção passou de 2,272 milhões de BOE nos seis primeiros meses do ano passado para 2,322 milhões de BOE entre janeiro e junho deste ano. Além disso, em abril, a companhia atingiu o recorde de produção mensal de óleo, com média de 2,033 milhões de barris por dia. A produção nacional foi impulsionada pelo aumento de produção nas plataformas P-51, P-53, P-54, P-34, nos testes de longa duração de Tiro e Tupi e nas FPSO de Cidade de Niterói, Frade, Cidade de Vitória e Espírito Santo. "Entregamos aos acionistas da Petrobras promessas feitas nos últimos tempos. Mais investimento, mais produção, ampliação de descobertas e vendendo mais no Brasil, fruto do crescimento econômico", frisou Barbassa. "O aumento de produção tem sido suficiente para ampliar a produção, mesmo com o declínio natural dos campos", acrescentou. (Rafael Rosas | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.