Apesar de aceitarem um aumento salarial de 10,8%, que somado ao abono chega a 14,5%, eles exigem que montadoras alterem prazos

Os metalúrgicos do ABC aceitaram neste sábado o aumento salarial de 10,8% sugerido pelas montadoras Ford, Mercedes-Benz, Scania e Volkswagen, mas rejeitaram a proposta das empresas porque discordam dos prazos de aplicação dos reajustes, segundo nota do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Assembleia reuniu mais de dez mil trabalhadores que rejeitam proposta das montadoras
Divulgação
Assembleia reuniu mais de dez mil trabalhadores que rejeitam proposta das montadoras
O aumento total, quando somado ao abono, chega a 14,56%, o maior índice conquistado pelo sindicato na história categoria, segundo Sérgio Nobre, o presidente da entidade. Esse índice recorde corresponde a um reajuste salarial de 10,8% - sendo 9%, mais 1,66% (referente à incorporação do abono de 2009) – somado à porcentagem correspondente a um abono de R$ 2,2 mil, explica a entidade.

A decisão de rejeição da proposta foi feita em assembleia que reuniu cerca de dez mil trabalhadores no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, na manhã deste sábado.

Para fechar um acordo com as empresas, os metalúrgicos exigem que o aumento de 1,66% e o abono sejam aplicados a partir da data base da categoria, 1° de setembro. No entanto, as montadoras propõem o reajuste de 1,66% para o ano que vem e o abono dividido em duas parcelas, em 20 de outubro e 15 de novembro.

Após a assembleia, a bancada das montadoras foi comunicada sobre a decisão dos trabalhadores, segundo o sindicato, que agora aguardará a resposta à contraproposta.

Também participaram da mesa de negociações os sindicatos que representam os metalúrgicos de Taubaté; São Carlos (CGTB-Volks) e Tatuí (Força-Ford).

O que está em jogo:

Os trabalhadores querem: 10,8% (9% mais 1,66%) já e abono salarial de R$ 2,2 mil pagos em uma única vez na data base.

A proposta rejeitada foi de: 10,8%, sendo 9% de aumento na data base (1° de setembro) + 1.66% em agosto de 2011, que é a incorporação ao salário do abono de 2009 + abono salarial de R$ 2,2 mil divididos em duas parcelas – 20 de outubro e 15 de novembro.

"Grande conquista "

A Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUTSP), que representa 250 mil trabalhadores em todo o Estado, disse em nota oficial divulgada neste sábado que a proposta de aumento salarial de 10,8% e abono salarial de R$ 2.200 representa “uma grande conquista para toda a categoria, bem como simboliza um avanço no processo de diálogo e negociação”.

Na nota, a FEM-CUTSP pede às montadoras que atendam às reivindicações dos trabalhadores e realizem os pagamentos respeitando os prazos exigidos por eles.

Acordo com Volvo barra em vale-mercado

Na última sexta-feira, metalúrgicos aceitaram a proposta da Volvo de 10% de reajuste, abono de R$ 4,2 mil e aumento de 50% no vale refeição, mas rejeitaram o aumento proposto para vale-mercado. A montadora ofereceu elevar o valor dos atuais R$ 60 para R$ 90, mas os trabalhadores querem R$ 300.

“Lamentamos muito a recusa. Foi uma proposta excelente”, afirmou Carlos Morassutti, diretor de RH e assuntos corporativos, em nota divulgada à imprensa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.