Se reservas dos campos forem inferiores ao previsto no contrato de cessão onerosa, União ressarcirá Petrobras, diz Gabrielli

Estimadas inicialmente em 4,5 bilhões de barris, as reservas de petróleo de Franco, maior campo cedido à Petrobras pela União no processo de cessão onerosa, são da ordem de 6 bilhões, afirmou o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli. A petroleira poderá explorar em Franco cerca de 3 bilhões deste total, além de quase 2 bilhões de barris espalhados em outras seis áreas que constam do contrato de cessão onerosa. 

Ao escolher várias áreas além de Franco na cessão onerosa - ainda que este possua reservas mais que suficientes para fazer frente à capitalização -, governo e Petrobras reduzem custos de produção da estatal. A empresa, assim, poderá aproveitar a estrutura de áreas onde já possui concessão, como Tupi, Iara e Guará. A Petrobras poderá explorar sua própria concessão e, em seguida, "puxar" petróleo da parte não licitada, que foi cedida na cessão onerosa, num processo batizado de unitização de reservas.

Em conferência para analistas de mercado, Gabrielli e o diretor financeiro da empresa, Almir Barbassa, descartam a possibilidade de prejuízo para a estatal, caso a companhia não encontre o petróleo estimado nos campos cedidos. Entre os sete campos, um, chamado Peroba, servirá justamente como reserva. E se mesmo assim não houver óleo suficiente neste último, caberá à União ressarcir a estatal pela inexistências das jazidas previstas no contrato.

Diferenças no pré-sal

A área que deu origem a Franco, perfurada excepcionalmente pela ANP, especialmente para a cessão onerosa, foi cotada a US$ 9,04. O campo será responsável pela maior parte do petróleo da União que será apropriado pela Petrobras, com 3,058 bilhões de barris, do total de 4,9 bilhões de barris da operação. Já o barril de óleo de Iara poderá ser explorado por US$ 5,82. O contrato prevê a exploração de cerca de 600 milhões de barris deste campo. em caráter excepcional pelaO barril de óleo do campo de Franco, perfurado

As áreas que serão exploradas pela estatal como parte do processo de capitalização da companhia foram avaliadas por duas certificadoras, uma contratada pela própria Petrobras, e outra pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Fontes que acompanham o processo explicam que, embora estejam na mesma região, no chamado "cluster" da Bacia de Santos, os blocos possuem diferenças na estrutura geológica que tornam uns mais produtivos que outros. Franco teria uma produtividade superior a de Iara, com custo de produção até duas vezes menor dependendo da localização do poço. Trabalhos de sísmica foram considerados para respaldar os relatórios que basearam os diferentes preços do petróleo.

O tamanho das reservas também contou na avaliação. Estimativas preliminares da ANP apontaram reservas de 4,5 bilhões de barris em Franco, mas o limite de 3 bilhões colocados na cessão onerosa suscitou dúvidas no mercado quanto ao tamanho real da província. Iara possui reservas estimadas pela Petrobras de 3 bilhões a 4 bilhões de barris.

Tupi deve superar Franco, com até 8 bilhões de barris

O barril em Tupi Nordeste vale, segundo o contrato, US$ 8,54, enquanto em Tupi Sul, US$ 7,85. Já foram perfurados de 6 a 7 poços na província de Tupi e os esforços da estatal são para chegar a 10 ainda neste ano. A ideia do governo é passar para a Petrobras cerca de 555 milhões de barris destes prospectos em reservas não licitadas. As reservas em Tupi variam de 5 bilhões a 8 bilhões de barris.

O barril de petróleo de Guará foi cotado a US$ 7,94 no contrato da cessão onerosa. As reservas da estimativas pela Petrobras indicam em sua concessão a existência de 1,1 bilhão a 2 bilhões de barris. Do lado da União, a Petrobras poderá explorar ali mais 319 milhões de barris.

Dois prospectos pouco conhecidos entre especialistas, Florim e Peroba também constam da cessão onerosa. Vizinho de Franco, Florim é a segundo área mais valorizada do acordo, US$ 9,01 cada barril. Desta área, a Petrobras poderá tomar 466 milhões de barris. Peroba não tem quantidade definida para a cessão e só será utilizada se as reservas dos outros campos escolhidos para compor a cessão onerosa forem insuficientes para fazer frente às estimativas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.