Tamanho do texto

Fabricante de processadores, multada em 1 bilhão de euros por práticas anticoncorrenciais na Europa em 2009, tenta acordo nos EUA

A fabricante americana de microprocessadores Intel apresentou uma proposta aos advogados da Comissão Federal de Comunicações americana (FTC na sigla em inglês) para suspender um processo de julgamento administrativo ligado a suspeitas de práticas antitruste adotadas pela companhia. De acordo com um comunicado divulgado nesta segunda-feira pela Intel, as partes envolvidas "consideram o potencial de resolução do caso apresentado originalmente pela FTC em 16 de dezembro de 2009".

No processo iniciado em dezembro do ano passado, a FTC argumenta que a Intel abusou de sua posição dominante no mercado adotando práticas anticompetitivas nos segmentos de microprocessadores e de chips gráficos. De acordo com o documento emitido pelo órgão, a comissão avalia o pedido de consentimento da Intel até 22 de julho e o assunto pode ser retirado de julgamento até 00:01 do dia 23 de julho.

A ação movida pela FTC precedeu iniciativas similares adotadas por órgãos reguladores na Europa e na Ásia alegando que a empresa havia dissuadido fabricantes de PCs a evitar a aquisição de componentes da rival Advanced Micro Devices (AMD). No caso da FTC, além dos chips, o processo inclui práticas envolvendo unidades de processamento gráfico.

Em maio do ano passado, a Intel foi condenada pela Comissão Européia a pagar uma multa de 1,06 bilhão de euros por adotar práticas antitruste no mercado europeu de microprocessadores, prejudicando a AMD. Na época, a soma representou a maior punição já aplicada pelo órgão regulador a uma única empresa.

Em seu comunicado, a Intel afirma que os termos da proposta apresentada à FTC são confidenciais e que "não fará nenhum comentário adicional público sobre o assunto neste momento." (Daniela Braun | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.