Tamanho do texto

O presidente da General Motors (GM) para o Brasil e Mercosul, Jaime Ardila, disse que a indústria automobilística deve registrar, em maio, vendas inferiores ao que espera o mercado. De acordo com ele, o comércio deve ficar entre 245 mil e 250 mil unidades neste mês.

O presidente da General Motors (GM) para o Brasil e Mercosul, Jaime Ardila, disse que a indústria automobilística deve registrar, em maio, vendas inferiores ao que espera o mercado. De acordo com ele, o comércio deve ficar entre 245 mil e 250 mil unidades neste mês. Para junho, a expectativa do executivo é de o setor vender algo em torno de 260 mil veículos.

"A recuperação será gradual. As vendas menores, talvez abaixo do que esperava o mercado, ocorrem pela ressaca pós (redução do) IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Quando se bebe muito, a dor de cabeça pode ser maior, mas passa", brincou o presidente da GM, em entrevista a jornalistas para anunciar nova parcela de investimentos. Para 2010, a expectativa do executivo é de vendas de 3,3 milhões de unidades no mercado, um pouco abaixo dos 3,4 milhões de veículos calculados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A empresa vai investir outros R$ 700 milhões em sua fábrica em São Caetano do Sul (SP), além do R$ 1,35 bilhão que já tinha anunciado. Esse dinheiro integra o pacote de R$ 5 bilhões anunciado para o período 2008-2012. Com a nova tranche, o volume de investimentos totais sobe ligeiramente, para R$ 5,07 bilhões.

Ardila informou que, por ora, esses investimentos estão sendo financiados com recursos do próprio caixa da montadora. Isso não significa que, futuramente, a GM não possa utilizar empréstimos pré-aprovados que dispõe no Banrisul e no BNDES. "Por enquanto o fluxo de caixa da GM é suficiente e não estamos usando recursos de terceiros", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.