Mudança na unidade faz parte da programação de investimentos de R$ 5 bilhões que a montadora fará no Brasil até 2012

A General Motors (GM) vai duplicar o número de robôs da linha de montagem na sua fábrica em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. Atualmente a planta conta com cerca de 160 robôs para montagem do veículo. Serão instalados mais 160 nos próximos dois anos.

Segundo José Eugênio Pinheiro, vice-presidente da montadora, novas contratações dependem do desempenho do mercado
Divulgação
Segundo José Eugênio Pinheiro, vice-presidente da montadora, novas contratações dependem do desempenho do mercado
A automação das linhas de montagem faz parte do plano de investimentos para o período de 2008 a 2012, de R$ 5 bilhões. Só a fábrica de São Caetano vai receber R$ 2 bilhões dos investimentos previstos para os próximos anos e ampliar para sete o número de modelos produzidos na unidade. A fábrica de São Caetano produz atualmente os modelos Vectra, Astra e Classic.

Saem da fábrica, hoje, 53 veículos por hora, ou cerca de 900 por dia. Segundo José Eugênio Pinheiro, vice-presidente de manufatura da GM na América Latina, neste primeiro momento a produção não vai crescer. Isso porque a montadora não possui capacidade de aumentar a produção. “Vamos fazer algumas mudanças estruturais para utilizarmos melhor o espaço de São Caetano. Mas, por enquanto, estamos estudando como fazer isso”, disse.

A partir de setembro deste ano, a montadora passará a produzir o segundo modelo da linha Viva, do qual o Agile faz parte. Para isso, a montadora vai transferir para a fábrica de São José dos Campos, interior de São Paulo, boa parte da produção do Classic. “O Classic nasceu na unidade de São José e agora vamos voltar a produzir em grande escala o modelo lá”, disse Pinheiro.

A companhia estuda também trabalhar com uma plataforma global de produção de carrocerias, que comporta seis modelos diferentes em uma única estrutura. Hoje, cada modelo possui sua plataforma nas fábricas da GM.

Mesmo com a robotização da fábrica, não está nos planos da companhia gerar demissões. A montadora, ao contrário, não descarta a possibilidade da criação de um terceiro turno fixo para dar conta da produção de todas as linhas. " mas demitir não está nos nossos planos", disse Pinheiro.

A GM, após dois anos seguidos de prejuízos, registrou lucro de US$ 865 milhões no primeiro trimestre deste ano. O crescimento das vendas foi uma das razões para o resultado positivo. Em 2009, a GM registrou seu melhor resultado de vendas, com emplacamento recorde de 595 mil veículos. Para este ano, a companhia prevê o emplacamento de 650 mil unidades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.