Segundo estimativas, vazamento de óleo no Golfo do México é de até 40 mil barris de óleo por dia, o dobro do que se acreditava

O governo dos Estados Unidos deu à petrolífera britânica BP dois dias de prazo para que a companhia apresente um plano mais agressivo para conter o vazamento de petróleo de um poço da empresa localizado no Golfo do México. A ordem está em uma carta enviada à empresa, divulgada publicamente neste sábado.

Na carta, o almirante da Guarda Costeira James Watson disse que uma maior capacidade para controlar o vazamento era algo "urgentemente necessário" e que os atuais planos da gigante do setor não contêm medidas suplementares suficientes para isso. Watson deu à BP 48 horas para bolar um novo plano para conter o vazamento. As estimativas apontam que o vazamento está lançando até 40 mil barris de óleo diariamente no Golfo do México - o número é quase duas vezes superior a estimativas anteriores.

"Eu estou preocupado que os planos atuais de vocês não fornecem a mobilização máxima de recursos para garantir a necessária capacidade de coleta consistente com as estimativas revisadas de fluxo (do vazamento)", escreveu Watson. "Eu também estou preocupado que o plano de vocês não faça o suficiente para mobilizar os recursos no caso de uma falha de equipamento com uma das embarcações ou outro problema não previsto."

A nova exigência ocorre no momento em que cresce a tensão em torno do desastre ecológico e econômico. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, solicitou uma reunião com altos executivos da BP para esta quarta-feira.

Ontem, a BP coletou 15.550 barris de óleo do mar, quantidade similar à registrada em dias anteriores. Em um breve comunicado em seu site, a BP afirmou que já coletou um total de 104.300 barris de óleo que vazou do poço desde que estabeleceu um novo sistema de coleta, no dia 3. A gigante britânica afirmou que "as operações estavam estáveis".

Também ontem, o almirante da Guarda Costeira Thad Allen, que monitora a resposta do governo ao problema, disse que a BP planeja ampliar a coleta de petróleo no mar para 40 mil ou 50 mil barris diários, a partir do fim deste mês ou do começo de julho. As informações são da "Dow Jones".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.