Ainda que projete um cenário menos nebuloso para a aviação executiva no mundo, a Embraer decidiu manter suas expectativas para este mercado

selo

Ainda que projete um cenário menos nebuloso para a aviação executiva no mundo, a Embraer decidiu manter suas expectativas para este mercado. A fabricante espera faturar US$ 1,1 bilhão em 2010 com estes produtos, alta de 22% ante a cifra arrecadada com aviões executivos no ano passado. Segundo o vice-presidente executivo para Aviação Executiva da Embraer, Luís Carlos Affonso, a meta para 2010 continua sendo a de entregar 137 jatos, sendo 120 Phenom e o restante das linhas Legacy e Lineage, de maior porte. Em 2009, foram entregues 127 jatos executivos, dos quais 110 eram Phenom. "No ano passado, entregamos só um Phenom 300, agora o mix de aviões mais caros vai aumentar, o que trará um incremento à receita." As projeções foram mantidas a despeito da melhora das expectativas da Embraer para a aviação executiva no mundo. A empresa estimava, no começo do ano, que este segmento movimentaria US$ 14 bilhões ao redor do globo em 2010. Agora, espera que tal mercado gire até US$ 16 bilhões. "Mesmo assim, a estimativa para as nossas vendas é muito positiva, pois representa alta, enquanto o mercado como um todo deve se contrair, já que as vendas globais em 2009 foram de US$ 17 bilhões", explicou. Somente após 2012 é que este mercado voltará a crescer. "Em 2012 as vendas no mundo ainda devem ficar estáveis", completou. Phenom Durante entrevista à imprensa, Affonso comemorou a aceitação dos jatos executivos Phenom no Brasil. Conforme o executivo, já há 47 aviões dessa categoria voando no País, onde a primeira entrega do modelo ocorreu em junho de 2009. No mundo, há 150 jatos Phenom em operação. Affonso destacou, também, que desde já tem 150 vendas de Phenom fechadas para a América Latina, sendo 75% para o Brasil. Deste total, 60 aviões já foram entregues.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.