Com 105 pedidos de aviões na China, Embraer vai criar centro de manutenção de aeronaves, que incluirá logística e venda de peças

A Embraer vai investir US$ 18 milhões na criação de um centro de manutenção de aeronaves na China, informou hoje a fabricante brasileira de aeronaves. Com sede em Beijing, a Embraer China Aircraft Technical Services Company Ltd. (ECA) está sendo criada no ano em que a empresa comemora dez anos de presença em solo chinês. Constituída oficialmente no começo de julho, a nova subsidiária estará totalmente operacional dentro de um mês.

Em nota, a Embraer explica que reforçou a capacidade instalada de suporte aos clientes em razão do "consistente crescimento da base de clientes naquele país". A subsidiária oferecerá serviços de logística e venda de peças de reposição, bem como consultoria para questões técnicas e operações de voo. "A criação da Embraer China Technical Services demonstra nosso comprometimento de longo prazo e confiança no crescente mercado de aviação chinês", disse o presidente da Embraer China e CEO da ECA, Guan Dongyuan. "Melhorias contínuas no suporte ao cliente são vitais para o sucesso das operações da Embraer na China.

Atualmente, há mais de 70 aeronaves fabricadas pela Embraer em serviço no país, de um total de 105 pedidos firmes. A nova instalação certamente atenderá à demanda de clientes presentes e futuros." O primeiro passo da Embraer na China foi o estabelecimento de um escritório de representação em Beijing, em maio de 2000.

O foco da iniciativa era desenvolver estratégia de mercado, garantir serviços de pós-venda e promover produtos e cooperação industrial com pioneiros da aviação chinesa. Em 2003, a Embraer e a Aviation Industry Corporation of China criaram a Harbin Embraer Aircraft Industry (HEAI), na cidade de Harbin, no nordeste do país. A joint venture (associação) para fabricação de jatos comerciais para companhias aéreas chinesas entregou o primeiro avião em 2004.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.